Mestre Gabriel, um pai sempre presente

| 9 Agosto, 2020

Carmiro Gabriel da Costa*

Mestre Gabriel (braços abertos) entre seus discípulos, na casa de um deles, Antonio Domingo Ramos | Foto de M. Cícero Alexandre Lopes.

O Mestre Gabriel foi um pai sempre presente. Um pai amoroso, mas severo em nossa criação. A severidade dele impunha para nós um respeito. Ensinou que a gente devia tomar a “bença”, que é uma referência ao Superior, como se fosse uma continência. Porque o pai representa Deus aqui na Terra para o filho. E o filho, perto do pai, ele se sente seguro, guarnecido.

Papai dava limite aos filhos e sempre falava para mim: “Se você estiver fazendo alguma coisa, alguma traquinagem e uma pessoa mais velha lhe chamar atenção, e você retrucar, se eu souber, vou lhe dar uma surra”. E se ele soubesse, ele fazia mesmo.

Hoje em dia, a gente vai chamar atenção de uma criança, porque está subindo uma mureta e pode se machucar, o que é muitas vezes que o menino diz? “Você não é meu pai, você não é a minha mãe.” Fala desse jeito porque muitas vezes não foi orientado pelos pais. E o Mestre Gabriel ensinava a ter respeito pela família, respeito aos mais velhos. Eu cresci dentro dessa disciplina do respeito.

Se fosse preciso disciplinar, ele disciplinava. Algumas vezes, ele me deu umas lapadas de cinturão porque desobedeci. Ele falou uma coisa e eu fiz ouvidos de mercador. Ele dizia: “Olha, eu falei para você e você fez ouvidos de mercador”. E eu não sabia o que era “fazer ouvidos de mercador”. “Então, você vai levar uma lapada pra saber que isso é dolorido”, dizia. E eu levava, e depois ficava pensando: “Poxa, eu fiz isso e o papai não confia mais em mim”. Ele dava um gelo na gente. Depois, ele começava a chamar a gente, a se aproximar, começava as brincadeiras de novo, e a gente ganhava a confiança dele novamente.

Um dia, ele recebeu uma queixa de mim lá do colégio. Eu tinha 12 anos e estava querendo namorar uma menina da 4ª série. Aí, ele me chamou e disse: “Olha aqui, camarada, eu vou lhe dizer uma coisa: Você ainda é uma criança e está pensando em namorar? Vai estudar! É disso que você precisa agora. E quando você chegar na idade de arranjar uma namorada para formar sua família, olhe bem a família que você vai entrar. Olhe bem! E olhe bem a moça! Se é aquela mesmo que você quer, para depois não ir atrás de outra!”. Isso ficou registrado na minha memória.

Nunca vi o Mestre Gabriel discutindo com a Mestre Pequenina. Se tinha alguma coisa, era muito escondido da gente porque nunca vi. Era sempre o amor presente. Quando chegava do trabalho, ele ia fazer um carinho nela. O carinho dele era colocar uma música na vitrolazinha, e tirar ela para dançar. E ela dizia: “Não, Gabriel, eu estou cheirando a comida”. E ele respondia: “Eu quero você assim mesmo”. Aí dava uns passos com ela, e depois ia fazer as coisas dele. Ela punha o almoço e a gente ia almoçar. Sempre era essa alegria que tinha em casa. E eu fui criado nessa sintonia do amor, da harmonia, sem discussão e sem briga.

E, graças a Deus, tudo o que o Mestre Gabriel me ensinou foi o correto, o certo. Eu é que não tive a capacidade de aprender tudo certo. Mas o que eu pude aprender certo, eu implantei na minha família. Casei com minha companheira, minha esposa, a Conselheira Mitonha. Com ela – só com ela! – tenho quatro filhos: três homens e uma mulher. E eu os criei dentro dos princípios da família. Educando, ensinando, passando para eles o que meu pai passou para mim. E, futuramente, eles vão fazer isso com os filhos deles. É assim que a gente constrói um mundo familiar de paz, de tranquilidade e harmonia.

Se eu fosse dizer tudo que eu aprendi com o Mestre Gabriel, seria muita coisa. Mas essas poucas palavras são o essencial da minha vida com meu pai, o Mestre Gabriel.

*Carmiro Gabriel da Costa é Mestre Representante do Núcleo Mestre Pequenina (Porto Velho-RO) e filho do Mestre José Gabriel da Costa.

33 respostas
  1. Marcela Barreto Bitencourt
    Marcela Barreto Bitencourt says:

    É… o exemplo é a mais bela forma de educar… a que eu vejo como mais eficaz também. Boas palavras, bons exemplos. Que os pais estejam sempre sintonizados nessa Luz do bom exemplo. Os pais, as mães e todos nós. Grata⚘

    Responder
  2. Antonia Torreão Herrera
    Antonia Torreão Herrera says:

    Bom depoimento, M. Carmiro! Pelo que pude conhecer, você aprendeu com ele a ser um bom pai. Sua família é linda.
    O pai é a lei e a lei não é para machucar, é para orientar, dá um Norte para os espíritos; todos precisam do aconchego da mãe e da lei do pai. E é bom que seja assim. Na falta de um, o outro faz os dois papéis

    Responder
  3. Rejane Hoisel Arléo
    Rejane Hoisel Arléo says:

    Que lindo relato! Palavras de orientação e doutrinação reta, em um mundo tão cheio de “relativismos”…
    Que Deus abençoe a todos os pais e a todos nós e que nosso Mestre nos ilumine a cada dia para sermos pessoas melhores. Sempre!

    Responder
  4. Adjane Siqueira
    Adjane Siqueira says:

    Forte esse relato.

    Nosso Mestre é divino. Grande pai, companheiro.
    Sinto ele como pai de todos nós.
    Que neste dia dos pais, todos recebam sua força e luz, para se tornarem cada dia melhores.

    Responder
  5. Enedir Generoso cintra
    Enedir Generoso cintra says:

    NOSSA, ESSAS PALAVRAS ME FEZ LEMBRAR DO MEU PAI E MEUS AVÔS. ATÉ HOJE EU ENSINO PRAS MINHAS FILHAS E NETAS ONS BONS MODOS. ESSAS PALAVRAS DO M. CARMIRO SÃO BONS CONSELHOS E COM ORIENTAÇÃO. GRATA PELAS BOAS PALAVRAS. EU TENHO O SENHOR COMO PAI. FOI O SENHOR QUE ME DEU O PRIMEIRO COPO DO SAGRADO CHÁ. BENÇA! DESEJO UM FELIZ DIAS DOS PAIS PRO SENHOR E PRO GETULIO.

    Responder
  6. Ana Maria Paz
    Ana Maria Paz says:

    Gratidão M. Carmiro! Ter compartilhado um pouco do seu aprendizado, os conselhos do M. Gabriel, a maneira que ele ensinava. Antigamente eram assim as boas maneiras, o respeito, a consideração, a disciplina. Era rígida e a gente crescia sabendo mesmo, respeitava os mais velhos, era como um princípio na família, a bênção já fazia parte do aprendizado. Feliz dia dos Pais M. Carmiro, tudo de bom em sua vida, que sua alegria seja constante e duradoura, que sempre nos alegra sua presença. E toda sua família, felicidades.

    Responder
  7. NELSON BARBOSA BITTENCOURT
    NELSON BARBOSA BITTENCOURT says:

    Parabéns, M. Carmiro. Bonito relato sobre a relação entre pai e filho, contando mais a respeito do Mestre Gabriel. Trouxe alegria pra nós neste dia dos pais. Abraços

    Responder
  8. Erotildes Maria de Souza França
    Erotildes Maria de Souza França says:

    Meu pai, hoje, não está aqui fisicamente, mas, o meu amor por ele é eterno, em quaisquer vidas que eu vir a ter, pois a educação que tive por ele foi exemplar, tal qual a do Mestre Gabriel. Homenageio meu pai enviando essa linda mensagem aos meus dois filhos, Perseu e Hércules, para que eles se lembrem da história deles com o pai deles que teve uma linda vivência, no entanto, deixou de lado o propósito de sua vinda neste planeta e os abandonou por causa da “bebida.” Que sirva de exemplo para que eles não repitam o mesmo erro. Afinal, viemos resgatar “vidas”, evoluir e para sermos felizes, em união com o Pai Maior, tão Amoroso e Justo. Gratidão, Mestre Gabriel, pelo ensinamento! Erotildes França.

    Responder
  9. Érica Monteiro
    Érica Monteiro says:

    Que alegria, que felicidade!
    A simplicidade deste grande amor que serve de exemplo para todos nós que temos em seu pai nosso Guia!
    Deus abençoe todos os Pais da nossa União com saúde, força e luz para cumprir esta nobre missão, vencer o desafio de bem orientar seus filhos!

    Gratidão e
    Abraço fraterno,

    Responder
  10. Cláudia Rodrigues
    Cláudia Rodrigues says:

    É bastante importante ter as palavras do Sr., Mestre Carmiro, sobre a conduta do Mestre Gabriel como pai e companheiro. Me sinto fortalecida com este depoimento.

    Grata e parabéns pelo seu dia!

    Responder
  11. Diego Vilar
    Diego Vilar says:

    Muito legal M Carmiro esta “herança” que o senhor transmite onde chega… esta visão do Mestre Gabriel enquanto pai. Nos serve de referencial na criação de nossos filhos

    Responder
  12. Thiago Vieira Machado
    Thiago Vieira Machado says:

    Desejo felicidades a todos os pais nesta sublime missão. É uma alegria ler o depoimento do amigo M. Carmiro, e poder lembrar do nosso Grande Mestre Gabriel neste dia dos pais. A simplicidade e sabedoria do nosso guia espiritual sempre ensinando com seu bom exemplo de vida me cativa. Gratidão.

    Responder
  13. Eduardo José dos Reis nobre
    Eduardo José dos Reis nobre says:

    Gosto e procuro criar meus filhos já trazendo o que aprendi com minha mãe dentro dos princípios de Deus e colocando o que venho aprendendo na UDV na criação dos meus filhos. Sou grato ao Mestre Gabriel e a União do Vegetal por esta presente na minha vida e me ensinando a viver melhor, escolher melhor e criar meus filhos o melhor que posso e com amor.

    Responder
  14. Maria do Vale
    Maria do Vale says:

    Reverencio, respeito e sou grata por suas palavras, M. Carmiro.
    Lembraram as palavras de meu pai.
    Felicidades para o senhor e para sua família!

    Responder
  15. Leonardo Pauperio
    Leonardo Pauperio says:

    É sempre bom ouvir relatos da família do Mestre Gabriel e da sua criação dos filhos. Servem pra mim de exemplo de como educar os filhos com amor e justiça. Corrigindo o que precisa corrigir, e cultivando a alegria e a amizade. Estar próximo dos filhos é a chave. Pra mim, o caminho do Mestre é um caminho de alegria e paz, em família.

    Responder
  16. Cristina Souza Criniti Aranha
    Cristina Souza Criniti Aranha says:

    Mestre Carmiro, recebo este testemunho como pérolas inspiradoras para mim, na condição de filha, companheira, mãe e discípula. Gratidão por ter tido o merecimento de conviver com o Sr e sua família.

    Responder
  17. ALEXANDRE DE OLIVEIRA RODRIGUES
    ALEXANDRE DE OLIVEIRA RODRIGUES says:

    Papai dava limite aos filhos e sempre falava para mim: “Se você estiver fazendo alguma coisa, alguma traquinagem e uma pessoa mais velha lhe chamar atenção, e você retrucar, se eu souber, vou lhe dar uma surra”. E se ele soubesse, ele fazia mesmo.
    “TUDO QUE EU FAÇO É ENSINANDO”.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *