Mestre Sidom e o seu dom de encantar

Flávia Ilíada*

| 25 fevereiro 2018

Mestre Sidom e sua companheira, Conselheira Losa | DMC/Sede Geral.

Francisco dos Anjos Feitosa, um dos bons jardineiros deste grande Jardim Florido que é a União do Vegetal. Ficou conhecido no âmbito da UDV como Mestre Sidom e recebeu a Estrela de Mestre do próprio Mestre Gabriel, que o aprovou no concurso para Mestre quando contou a História da Hoasca. Hoje, 25 de fevereiro de 2018, Mestre Sidom completaria 86 anos de idade.

Nasceu em Porto Velho numa família numerosa. O apelido “Sidom” foi dado por sua irmã mais velha, Luíza, que ainda criança o chamava de Dom e, tempos depois, Sidom. Quando chegou à União do Vegetal, Mestre Gabriel lhe revelou que aquele apelido, Sidom, era seu nome em outra encarnação e que a irmã já tinha sido sua irmã antes, por isso a forte ligação entre eles e a recordação do nome.

Chegada à União do Vegetal

Conheceu a UDV por meio de seu compadre e amigo Clemente Guedes, que lhe falava das “coisas lindas” que via pelo Vegetal.

Mestre Gabriel tinha uma olaria e entregava os tijolos usando um caminhão Ford F 600, comprado de segunda mão e frequentemente parado para conserto. Um dia, vendo aquela situação, o Clemente falou do compadre Sidom para o Mestre, dizendo que ele era um bom mecânico e que daria jeito no caminhão. Até então, Ireno era quem consertava o caminhão do Mestre e fazia o serviço em troca de tijolos.

Quando o Clemente e o Sidom chegaram à Sede – atualmente no mesmo local onde hoje funciona a Associação José Gabriel da Costa, em Porto Velho (RO) – Sidom olhou as bandeirolas no Salão, o arco, e estranhou tudo aquilo. Chegou a perguntar para o amigo se era macumba. “Não, compadre, é outra coisa, coisa linda, o senhor vem ver.”

Quando o Sidom foi apresentado, o Clemente disse: Mestre, esse é o Sidom. Ele é mecânico e pode consertar seu caminhão, pois o Ireno já está com a casa dele quase pronta e seu caminhão, ele não resolve o problema. O Mestre Gabriel, então, respondeu, demonstrando sua humildade: Clemente, não diga mais isso. O Ireno está fazendo o melhor que ele pode. Tem me servido nas horas que eu necessito. Eu é que preciso melhorar meu merecimento.

Combinaram o serviço para o dia seguinte e Sidom foi com o Mestre comprar as peças do caminhão. Naquela noite, estava marcada uma Sessão Extra e o Clemente pediu que o Mestre Gabriel atendesse o amigo. Mestre Gabriel perguntou se ele queria mesmo conhecer o Vegetal e se fazia uso de bebida alcoólica. Sidom disse que sim, pois naquele dia havia bebido. Então o Mestre lhe explicou que o Vegetal não se unia com bebida alcoólica, mas que aquele era o dia dele conhecer o Vegetal e que havia de ser o que Deus quisesse.

Depois de ouvir aquelas palavras do Mestre, Sidom vacilou, temeu pelo desconhecido de não saber o que poderia acontecer. Percebeu que o Vegetal é coisa séria. Foi para casa pensando em não ir. Mas à noite, quando o Clemente chegou para buscá-lo, foram juntos para a Sessão.

Foi o próprio Mestre Gabriel quem dirigiu os trabalhos e quem lhe deu o primeiro copo de Vegetal. Num determinado momento, Sidom começou a se ver num cipoal, sendo sufocado pelo cipó e com muita fumaça em volta dele.

Após a Sessão, conversando com o Mestre, falou que não tinha visto as coisas muito claras e que acreditava que fosse por conta da bebida alcoólica que tinha usado e o fumaceiro talvez fosse o cigarro que ele usava. O Mestre confirmou sua percepção e lhe disse que estava vendo algo nele e que, por isso, lhe daria um privilégio, que ainda não tinha dado a nenhum outro, lhe chamando para ir à próxima Sessão como seu convidado.

“Doação do seo Sidom”

Vendo a situação de simplicidade material do Mestre Gabriel, Sidom não quis cobrar pelo serviço do conserto do caminhão. O Mestre insistiu em lhe pagar, mas ele continuava não querendo receber. Foi quando o Mestre Gabriel colocou no bolso da sua camisa o equivalente a trezentos cruzeiros. Sidom não aceitou e devolveu o dinheiro para o Mestre, quando este chamou seo Raimundinho – como costumava chamar o Mestre Paixão –, lhe pedindo para colocar o dinheiro no caixa da União do Vegetal: “É uma doação do seo Sidom”.

Na Sessão seguinte, Sidom foi por vontade própria: “Agora quem quer ir sou eu”, disse para a primeira esposa. Quando o tempo de burracheira chegou ele se viu recebendo uma camisa verde, com as letras UDV, CDC e uma Estrela. Depois perguntou ao Mestre o que significava aquilo. O Mestre lhe explicou e aproveitou para lhe trazer mais um ensinamento, orientando-o que nem tudo que se vê na Luz do Vegetal deve ser contado para todas as pessoas. E completou aconselhando-o a “guardar o que viu consigo para um dia receber o que é seu”. E assim Mestre Sidom fez, só contou esse acontecimento após ser convocado para o Quadro de Mestres.

Mestre Sidon – Francisco dos Anjos Feitosa

Caminhada

Mestre Sidom é pai de oito filhos: Newton, Claudio, Nilson, Gildete, Clenio, Janaína, Rosano e Sidom. Teve quatro no primeiro casamento e quatro no segundo casamento, com a Conselheira Losa, que também conheceu o Mestre Gabriel e bebeu Vegetal com o Mestre ainda nos Seringais. Entre os filhos, Clenio e Sidom pertencem ao Quadro de Mestres – Núcleo Coração do Mestre (Acre) e Núcleo Belo Jardim (Acre), respectivamente – e a filha, Janaína, está no Corpo Instrutivo do Núcleo Mestre Gabriel (Rondônia).

Se aposentou como ferroviário da Estrada de Ferro Madeira Mamoré e era um exímio mecânico. Antes de chegar à União do Vegetal passou pela Rosa Cruz e cultivava o hábito da leitura. Cursou somente o Ensino Fundamental, mas tinha uma inteligência marcante, inclusive para aprender e transmitir os ensinos da União do Vegetal.

Segundo o Mestre Central da 1ª Região, Donizete da Silva, que conviveu com Mestre Sidom no Núcleo Mestre Rubens (Jaru-RO), ele tinha uma inteligência para falar no Salão do Vegetal.  “Mestre Sidom falava 30, 40 minutos sem gaguejar, usava bem as palavras e era uma pessoa que sabia bem as chamadas da União, tinha uma boa memória para aprender as chamadas, as histórias, falava do Mestre Gabriel com consciência e convicção”.

Amizade com Mestre Adamir

Mestre Sidom e Mestre Adamir eram grandes amigos, compadres e irmãos de caminhada. Na fundação do Núcleo Mestre Rubens, Mestre Sidom foi morar em Jaru para auxiliar a estruturar aquele Núcleo. Mestre Adamir ficou à frente da Representação por 14 anos e Mestre Sidom por 7 anos. Durante um tempo também o Mestre José Luiz de Oliveira, atualmente Mestre Assistente Geral e membro do Conselho da Recordação dos Ensinos do Mestre Gabriel, esteve junto com eles. Alguns contam que a afinidade dos três era tal que por vezes um sabia o que o outro pensava, sem que nenhum tivesse conversado com o outro.

Foi no Núcleo Mestre Rubens que Mestre Sidom trouxe pela primeira vez a chamada “Jardim Florido”, durante uma Sessão num Preparo dirigida pelo Mestre Adamir. Os dois se complementavam no Salão do Vegetal. Quando o primeiro trazia uma doutrina mais rente, o segundo vinha aconselhando, com palavras que soavam como bálsamo para os irmãos. Mestre Sidom tinha o dom do Conselho.

Pela fina ligação entre eles – e respeitando um acontecimento envolvendo uma licença concedida ao Mestre Sidom pelo próprio Mestre Gabriel –, enquanto esteve à frente da Representação, Mestre Adamir deu ao Mestre Sidom o direito de falar durante as Sessões sem precisar pedir licença, independente de estar na Assistência ou dirigindo os trabalhos.

Desencarnou aos 64 anos, no dia 31 de janeiro de 1996, em decorrência de um problema de saúde. Tinha também o dom de encantar as pessoas com sua voz marcante e palavras firmes. Plantou flores em seu caminho e boas memórias entre os que conviveram com ele.Em sua homenagem, foi criado o Núcleo Mestre Sidom, localizado na 11ª Região, em Sobral-CE, inaugurado em em 1996.

*Flávia Ilíada é integrante do Corpo do Conselho do Núcleo Estrela Matutina (Brasília-DF). Este artigo contou com a colaboração de familiares do Mestre Sidom, da Administração Central da 1ª Região da UDV e do Departamento de Memória e Comunicação (DMC) da 1ª Região.

 

17 respostas
  1. Rogério Machado Canto
    Rogério Machado Canto says:

    Parabéns Flavia pelo lindo trabalho realizado junto a equipe! Muito importante rememorar e enaltecer o Mestre Sidon que trouxe sua parcela de contribuição ao C.E.B.UDV e fez sua estrela brilhar com a orientação através da chamada, doutrinação e conselhos que encantaram e auxiliaram e ainda auxiliam irmãos dessa sagrada ordem UDV.

    Responder
  2. Carlos Augusto
    Carlos Augusto says:

    Lembro que M. Sidom, vinha a Rio Branco em busca de mais saúde, ficava hospedado na casa do M. Luiz Máximo e voltava à Jaru mais fortalecido, muitas vezes chegava de surpresa e era sempre uma satisfação recebe-lo e ver ele retornar pra sua família mais fortalecido, com mais saúde.

    Responder
  3. Sidon Silva Feitosa
    Sidon Silva Feitosa says:

    Que alegria eu sinto pela bondade de Deus por ter me dado o direito de ser um dos filhos desse Sr. Francisco dos Anjos Feitosa. Um pai amigo um bom pai, um bom companheiro para minha querida mãe, um bom discípulo do M.Gabriel e um bom Mestre na União do Vegetal. Bons exemplos vi por meio de sua prática ao qual venho tbm buscando me lapidar pra dar bons exemplos aos meus filhos. Hoje, pra toda nossa família é um dia de alegria ao qual relembramos este nobre Mestre amigo.

    Responder
  4. Erika Madeliane
    Erika Madeliane says:

    Muito boa matéria,
    Importante trabalho este da equipe do Blog em rememorar esses nossos primeiros irmãos. Muito feliz em conhecer um pouco da história desses nossos Mestres. Parabéns a toda equipe!

    Responder
  5. Francisco Xavier de Lima Sobreira
    Francisco Xavier de Lima Sobreira says:

    Acredito que tenha mesmo faltado da parte do Núcleo Mestre Sidom uma participação efetiva neste relato que homenageia o Meste Sidom. Em 30 de abril de 1996, a Sede Geral autorizou o funcionamento do Pré-Núcleo Mestre Sidom. Desde então iniciamos uma amizade com toda sua família e descobrimos que também interligava a família do Mestre Adamir. Aqui em Sobral por várias vezes se encontram: Conselheira Losa e Conselheira Conceição e filhos. O Memorial Mestre Iagora do Núcleo Mestre Sidom tem uma sala conhecida por “DOIS IRMÃOS” onde homenageamos os dois irmãos com suas famílias. Outra sala com a História do Núcleo Mestre Sidom, apresenta o Livro: “NÚCLEO MESTRE SIDOM, Histórias de um jardim florando”. Na parede de fundo do Templo temos três quadros onde se vê, Mestre Sidom, Mestre Gabriel e Mestre Adamir.Entre as festividades anuais da União do Vegetal consideramos também a data de 25 de fevereiro do aniversário do Mestre Sidom. Desde 1996 aqui neste núcleo é realizado uma Sessão dirigida por algum Mestre amigo do Mestre Sidom ou alguém da família. Somos gratos pela oportunidade de aqui também expressar nossa alegria.

    Responder
  6. Dermeval de Sena Aires Júnior
    Dermeval de Sena Aires Júnior says:

    Grato ao blog da UDV e à Flávia por disponibilizarem este relato a respeito da caminhada do Mestre Sidom. Grato também às contribuições das observações postadas. Venho aprendendo um tanto com os textos deste blog. São uma fonte importante de conhecimentos a respeito da vida do Mestre Gabriel, sua família e diversas pessoas da UDV capazes de nos inspirar e instruir pelas suas histórias.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *