Projeto da Casa da União Lar de Santana acolhe crianças da periferia de Campo Grande

Luciano Rodrigues da Silva*

| 11 Junho, 2021

Projeto social de musicalização de crianças, em Campo Grande | Foto: DMC

Campos Grande (MS), uma quinta-feira, 8h30. Vinte jovens, entre oito e 15 anos, formam um círculo na ampla Casa de Preparo do Núcleo Senhora Santana, tendo nas mãos violinos, na história várias situações de vulnerabilidade e no coração muita vontade de melhorar. Ao centro, o professor Rafael Moraes, 26 anos, afina os instrumentos de cada aluno com paciência e dedicação. Enquanto ele repassa cada um, todos se preparam para o que talvez seja, para alguns, o único momento de acalanto e esperança do dia: a escola de violino da Casa da União (CDU) Lar de Santana, uma das entidades beneficentes do Centro Espirita Beneficente União do Vegetal.

O projeto começou em 2019, com sete crianças, mas precisou ser interrompido devido à pandemia. Era mantido através de uma parceria com a Fundação Barbosa Rodrigues, que promove arte, cultura e educação em Campo Grande. No dia 9 de março deste ano, a escola de violino voltou, desta vez mantido exclusivamente pela CDU Lar de Santana, através de doações voluntárias, que pagam as horas do professor Rafael. Agora, são 20 alunos, duas turmas de dez, todas as terças e quintas-feiras, das 8h30 até as 9h30 e das 9h30 até as 10h30.

– O violino tem uma condição de tirar a criança daquela sintonia e trazer para uma outra sintonia – emociona-se a Conselheira Gloria Campos Mura, vice-presidente da CDU Lar de Santana. Ao se falar do projeto, justificam-se as lágrimas pelas condições precárias de algumas crianças que ali aprendem a tocar um fino instrumento musical. Como a da jovem, cuja mãe morava sob um viaduto paulistano, que agora, diariamente, recebe instruções para extrair beleza e poesia do violino e trazer um bálsamo para o lampejo de vida de uma adolescente, cujo semblante transmite o peso de sua, ainda, breve história. Junto com ela, sua irmã beneficia-se dos efeitos do som do violino e de sua calma.

Há casos mais severos. Lucilene Paniago Trindade, Monitora Social da CDU Lar de Santana, lembra das queixas da mãe de uma criança submetida à situação de violência doméstica e que refletia o que presenciava em suas reações. Ela conta que, ao começar a estudar violino na CDU, a mãe percebeu uma imediata melhora da atenção da menina, estando mais alerta àquilo que ouvia. “Ela refinou sua percepção e tornou-se mais centrada. Há uma inclusão importante destas crianças”, disse Lucilene.

No momento, as crianças utilizam instrumentos alugados para o projeto | Foto: DMC

Instrumentos

Os instrumentos utilizados nas aulas foram obtidos pelo professor Rafael, através de um amigo também professor, que os aluga para a CDU. Rita de Cassia Pedra Gonçalves, coordenadora do Projeto Famílias Florescendo, contou que a Casa Lar de Santana estuda promover uma campanha de doações de violinos para o projeto entre sócios, para que os violinos do projeto sejam próprios da “escola”. Hoje, quatro crianças têm violinos próprios, sendo dois doados pela CDU e dois, presentes de familiares.

Aliás, as famílias são fundamentais neste projeto. Sonia Mercedes de Siqueira, 43 anos, tem três filhos estudando violino na CDU: Jin Mi, uma jovem de 15 anos; Jin Moon, um menino de 12 anos; e a caçula, Jin Soon, de oito. Ela veio do Norte da Argentina há mais de 20 anos, mas agora mora a duas quadras da Casa da União. Sonia reconhece a música e o esporte como fundamentais na formação de seus filhos e sempre se esforçou para não perder uma oportunidade para lhes proporcionar tais benefícios. Antes das aulas, o trio já era da banda da escola, com instrumentos de sopro, mas sua primogênita nutria uma vontade de aprender a tocar violino. Quando surgiu o curso da CDU, não perderam tempo e hoje Sonia sente gratidão pelo projeto, principalmente quando percebe a alegria dos filhos nas aulas. “Sinto muita satisfação, como mãe, porque vejo que eles gostam e é muito bom a música na vida deles”, afirmou.

Sonia Mercedes e seus filhos de 15, 12 e 8 anos | Foto: DMC

– Estou muito feliz de ter um lugar em que possa treinar, perto da minha casa e com um professor muito competente – reconhece Jin Mi, que já tinha o violino, mas procurava um lugar para “treinar”, como ela mesmo diz. E o treinador é exigente e ao mesmo tempo educado. “Trabalhamos aqui, com educação, a melhoria do caráter destas crianças de forma interativa através da música. Transformamos comportamentos pela música”, explica Rafael Moraes.

O professor conta que as crianças relatam situações “pesadas de violência e criminalidade” nos locais onde moram. Se não estivessem ali fazendo música, acrescenta Rafael, provavelmente poderiam estar no crime. Precisamos acolher estas crianças e mostrar alternativas ao que presenciam no dia-a-dia. Uma das alunas mais novas, Lana Dhiemyli, 10 anos, reconhece isso na palavra, aparentemente trocada para ouvidos desatentos: “gosto das aulas porque toca música alegro”. “Música alegre”, antecipa-se o inadvertido repórter. “É… isso, alegro”, confirma Lana, demonstrando o que acontece com seu coração nas aulas de violino.

* Luciano Rodrigues da Silva pertente ao Quadro de Mestres do Núcleo Luz de Maria (Campo Grande – MS).

7 respostas
  1. Lílson Pelegrine Simas
    Lílson Pelegrine Simas says:

    Que bonito esse trabalho! A música é um bálsamo e uma força de superação pra essas crianças e jovens. Desejo prosperidade e longa vida a esse projeto por ser uma garantia de um futuro de mais alegrias pra quem dele participa e se beneficia. Parabéns a todos os envolvidos!

    Responder
  2. Alysson Bastos Sena
    Alysson Bastos Sena says:

    Criar condições para que jovens e crianças possam utilizar a música em seu benefício é um ato de amor. Parabéns pela excelente iniciativa do Núcleo Senhora Santana. Tive a oportunidade de conhecer a direção deste núcleo que vemao longo do tempo amadurecendo o bom convívio e o bem viver. Abraço a todos

    Responder
  3. Alexandre Ubaldini
    Alexandre Ubaldini says:

    Parabéns pelo trabalho.
    Boa musica e um belo sentimento de auxiliar àqueles que precisam de um sentido melhor pra vida, é certamente uma perfeita união.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *