Mestre Florêncio: um Cruzeiro no céu da UDV

| 14 Abril, 2021

Ailton Araújo de Carvalho*
Joaquim José de Queiroz**

Mestre Florêncio Siqueira de Carvalho | DMC/Sede Geral.

Se estivesse hoje aqui presente em matéria, Mestre Cruzeiro ou Mestre Florêncio Siqueira de Carvalho estaria inteirando 89 anos de vida bem vividos, dando sombra e espalhando flores, feito um velho e resistente carvalho; cantando contente e feliz, semelhante a um sabiá, e iluminando e irradiando sorrisos e alegria, igualmente um Cruzeiro de uma grande constelação.

O carvalho resistente

Muitas tradições em todo o mundo consideram o carvalho uma árvore sagrada em virtude da sua robustez e majestosidade. Carvalho significa “longevidade”, “resistência” ou “árvore de diversas características” e, quanto mais temporais e tempestades o carvalho enfrenta, mais forte ele fica… Suas raízes naturalmente se aprofundam mais na terra e seu caule se torna mais robusto, sendo impossível uma tempestade arrancá-lo do solo ou derrubá-lo. Essas características, presentes nessa importante árvore, também se encontram em Florêncio Siqueira de Carvalho, Mestre Cruzeiro ou Mestre Florêncio como o conhecemos na União do Vegetal. Nordestino forte, destemido e resistente, nasceu no dia 14 de abril de 1932, às quatro e meia da manhã, numa pequena rua chamada São José, na cidade de Juazeiro do Norte, Estado do Ceará, filho de um alagoano chamado Manoel Florêncio de Carvalho e de uma pernambucana conhecida como Cecília Nunes de Carvalho.

Ainda criança, com cerca de 10 anos de idade, foi para o Amazonas, trabalhar na agricultura, junto com os pais e irmãos, perdendo assim a oportunidade de estudar ou frequentar escolas. Adolescente, entrou nas florestas, onde foi mateiro, seringueiro, tropeiro, tuxaua e quase “bicho do mato”, como costumava dizer. Essa vivência nas florestas, durante um bom período de sua vida, serviu para desenvolver a resiliência, fortalecer seu espírito, estudar os astros e se formar na escola da natureza.

Lutando contra as adversidades da vida, atravessando momentos difíceis ou enfrentando o perigo, jamais deixou de batalhar por uma vida melhor e nunca perdeu a fé e a esperança de que seria um vitorioso. Forjado na luta, na dificuldade, no sofrimento, durante sua caminhada nunca reclamou, desistiu ou correu de suas responsabilidades, mantendo sempre uma alegria inocente, um sorriso de criança travessa e um sentimento de amor no coração, sendo um exemplo de resistência e superação.

Assim, aquela pequena semente do Carvalho, que entrou nas florestas ainda jovem, conheceu, cresceu e aprendeu coisas que serviriam para tornar o Carvalho uma árvore frondosa e rara, cujas raízes estão plantadas definitivamente no solo sagrado da União e os galhos, as flores e os frutos espalhados em muitos lugares sempre brotando alegria, esperança e amor neste abençoado lugar. Esse resistente Carvalho não permitiu que os ventos e as tempestades da vida arrancassem suas raízes da União do Vegetal.

O sabiá encantado

Vivendo nas florestas, enquanto trabalhava se distraía ouvindo o canto dos pássaros e cantando junto com eles. Essa habilidade de compreender a linguagem dos animais e observar o ritmo da natureza seria de grande utilidade quando saiu das matas e voltou ao convívio social, pois aprendera a se comunicar naturalmente com todas as pessoas e mantinha uma espécie de linguagem que refletia uma alegria e harmonia interior, agindo assim com certa e grande naturalidade.

Reza a lenda que, quando o pássaro uirapuru canta, todos os outros se calam para ouvir seu canto, a floresta toda entra em profundo silêncio, em sinal de respeito e admiração; assim também acontecia com o Mestre Florêncio quando falava e principalmente quando fazia chamadas. Todos se calavam para ouvir aquele canto melodioso, agradável, harmonioso e encantador. Dizia o Mestre Gabriel que “quem não se encantar com o Mestre Florêncio fazendo chamadas não se encanta com mais nada no Salão do Vegetal”.

Por essa razão, foi um dos primeiros Mestres formados na União do Vegetal e recebeu o título de Mestre “pelos encantos”. Seu jeito único e especial de fazer chamadas não era apenas porque tinha uma voz bonita e afinada, mas também pela capacidade adquirida durante o tempo que viveu nas florestas, como se naquele período tivesse recebido um dom natural que foi se revelando à medida que conhecia cada vez mais o Mestre e aprendia como trabalhar com o Vegetal.

Além de encantar a todos dentro do Salão do Vegetal, fora se mostrou um dos melhores Mestres de Preparo, com uma habilidade e capacidade de preparar um Vegetal “ponto grau”; sua vivência nos seringais contribuiu para que fosse um exímio conhecedor das plantas naturais e, quando chegou à União, um grande incentivador e plantador do Mariri, da Chacrona e das ervas medicinais. Sua ligação com as plantas e as coisas naturais fazia dele um “doutor caboclo”, um homem das florestas; sua ligação com os astros fazia dele alguém que conhece o ritmo da vida e a harmonia da natureza.

Sua presença nos lugares da União era certeza de alegria, simplicidade e espontaneidade. Sua maneira de brincar, falar, cantar, dirigir Sessão prendia a atenção de todos e despertava a vontade e o querer de continuar ouvindo em silêncio o cantar sonoro daquele homem-pássaro, daquele sabiá que não vivia preso em nenhum lugar, pois seu lar era o Norte, Manaus, e sua casa a União do Vegetal, e sempre “voava” e “pousava” onde fosse chamado para alegrar as pessoas com seu canto bonito e sua palavra firme, forte e segura.

O Cruzeiro da constelação de estrelas da União

Morando em Cruzeiro do Sul, Estado do Acre, ganhou o apelido de “Cruzeiro”, que carregaria e pelo qual seria conhecido durante grande parte da vida. Com esse nome, bebeu Vegetal uma vez, ainda nos seringais, com o Mestre Gabriel, com quem iria se reencontrar mais adiante para ser seu amigo, compadre, discípulo e Diretor Social da Associação criada por ele. Sendo conhecido por Cruzeiro, foi morar em Porto Velho quando saiu dos seringais, para ser serralheiro e comerciante.

Num gesto de grandeza e nobreza, abdicou da riqueza material em Porto Velho, depois de ouvir do Mestre Gabriel que seria um dos homens mais ricos do território, se continuasse morando ali, para distribuir com os parentes e amigos o tesouro espiritual que havia encontrado ao receber a Estrela de Mestre. O que tinha conquistado para si queria agora repartir com todos e em especial com seus familiares.

E assim, junto com sua família, foi morar em Manaus, onde iniciou o primeiro Núcleo registrado da União do Vegetal e sendo um dos principais responsáveis pela expansão do centro ao longo do tempo. Aquele novo Ponto de Luz no Norte se expandiu e formou com o tempo uma constelação de lugares em diversos cantos do Brasil, iluminando e clareando a vida de muitas e muitas pessoas. Essa expansão, também, proporcionou um desenvolvimento interior ao Mestre Cruzeiro, que passou a ser Mestre Florêncio e galgou todos os degraus da hierarquia do Centro, ocupando o lugar de Mestre Representante, Mestre Central, Mestre Assistente Geral e Mestre Geral Representante.

Apesar de distante fisicamente do Mestre Gabriel, teve a feliz ideia de registrar, por meio de gravações das Sessões, momentos únicos, importantes e sublimes da presença e da oratória do Mestre Gabriel, beneficiando todos nós com mais este tesouro, pelo qual podemos ouvir e conhecer os ensinamentos superiores e guardar na memória a voz do nosso Guia Espiritual.

Hoje, ao lembrarmos do seu sorriso infantil e espontâneo; ao sentirmos o amor do seu bondoso coração; ao recordarmos do seu canto sereno; ao contarmos do seu exemplo de superação, responsabilidade e amizade e ao comemorarmos sua história de vida, temos a certeza de que ele permanece sendo um grande Cruzeiro no céu orientando, formando e iluminando constelações de lugares e pessoas em busca de uma sombra onde se possa ouvir sempre um canto de Luz, Paz e Amor…

*Ailton Araújo de Carvalho, filho do M. Florêncio, é integrante do Corpo do Conselho do Núcleo Pau D’Arco (Caruaru-PE).
**Joaquim José de Queiroz é Mestre Representante do Núcleo Pau D’Arco (Caruaru-PE).

49 respostas
  1. Francisco Pinto
    Francisco Pinto says:

    Está aí uma história de vida que quero ver em livro. Desde a infância e a saga da família fugindo da seca no nordeste.
    Certamente nosso Grande Mestre sabia com quais pessoas poderia contar pra dar seguimento à Sua Obra.
    Abandonou a possibilidade de ajuntar tesouros na terra em prol de dar Vegetal à sua família em Manaus e de auxiliar na missão de fazer a União circular o mundo.

    Salve o Mestre Florêncio e Salve a alegria que o acompanhava por onde ia.

    Responder
  2. Saulo Da Rós
    Saulo Da Rós says:

    Texto bonito e encantador, bem como a voz do Mestre pelos Encantos, Mestre Florêncio. Bonita e justa homenagem, a quem doou sua vida à União do Vegetal e foi peça fundamental na expansão da UDV no Brasil e no Mundo. Viva o M. Florêncio, Viva nossa UDV!

    Responder
  3. Dalton Mergulhão Pereira Gomes
    Dalton Mergulhão Pereira Gomes says:

    M. Florêncio.
    Grande homem, grande Mestre, grande Amigo.
    Muito bom o texto, relembrando a pessoa de fibra que ele era.
    Um exemplo de vida.
    Saudades eternas

    Responder
  4. Salomão Taumaturgo
    Salomão Taumaturgo says:

    Belo texto.
    M Florêncio uma pessoa de valor. Querido em toda União por seu jeito cativante e respeitado perante a sociedade. Cumpridor da sua palavra e conhecido por sua honestidade nos negócios. Como era bom ouví-lo presencialmente fazendo chamadas, falando de sua caminhada; dessa boa União e da vida do Mestre Gabriel.
    Que Deus esteja contigo amigo, onde estiver.
    Saudades.

    Responder
  5. Luciano Morais da Silva
    Luciano Morais da Silva says:

    Tive oportunidade de assitir algumas sessões M Florêncio era encantador. Muito bom ler as histórias de vida M Florêncio. Parabéns.

    Responder
  6. Reyla Danyane Menezes dos Reis
    Reyla Danyane Menezes dos Reis says:

    Linda homenagem a esse querido caboclo encantador, pessoa que encanta até quem não o conheceu em matéria. Teve um papel primordial em momentos importantes da UDV porque estava ligado no Mestre, prestando atenção em seus movimentos! Que saibamos aprender com os bons ensinamentos desse Sabiá que traz no rosto o sincero sorriso de uma criança!

    Responder
  7. Miguel Ernesto
    Miguel Ernesto says:

    M Florêncio deixa boas memórias naqueles que o conheceram, sua forma simples de compreender a vida inspira um olhar mais leve ao enxergar a vida e a natureza. Sempre seu nome é lembrado com entusiasmo, alegrando os que ouvem. Bom poder ler algo mais em relação a esse ser ímpar que conheceu nosso Mestre.

    Responder
  8. Yuri Cruz
    Yuri Cruz says:

    Através dessas palavras consegui perceber mais a essência do M. Florêncio e seu exemplo de vida, mesmo sem tê-lo conhecido pessoalmente! Parabéns a equipe do blog que tem feito um belo trabalho, e em especial aos amigos C. Ailton Carvalho e M. Joaquim Queiroz!

    Responder
  9. Márcio Bellini dos Santos
    Márcio Bellini dos Santos says:

    Viva o M.Florêncio, uma pessoa singular que me cativou com sua simplicidade e com sua maneira de tratar a todos iguais e com consideração . Todas as vezes que nis encontramos estava alegre e com suas brincadeiras cativava a todos ao seu redor. Uma pessoa que eu gostaria de ter convivido mais. Deixo aqui registrado meus agradecimentos por tudo que ele fez à UDV e um abraço fraterno pra toda familia Carvalho.

    Responder
  10. Karla Marcelina Soares daSilva Carvalho
    Karla Marcelina Soares daSilva Carvalho says:

    Bela e merecida homenagem a esse Senhor que teve o merecimento de conhecer o Mestre Gabriel, ser seu amigo, ter a sua confiança, e eu com as bençãos de Deus tenho o merecimento de ser sua nora, e ser tratada como filha, assim como suas outras noras. Gratidão por seu Amor e dedicação ao Mestre e sua obra servindo de espelho no plantio da vida, gratidão amigo por tanto amor ❤️

    Responder
  11. Moisés Barreto
    Moisés Barreto says:

    Texto inspirador. Tive a alegria de conhecer este senhor, este Mestre.
    Grande Ventura de fazer parte desta obra. Parabéns aos autores do texto. Poético, reflexivo, filosófico e imagético, com uma boa dosagem de biografia.

    Responder
  12. Elson Farias
    Elson Farias says:

    Bom dia a todos,
    Que bela homenagem ao M. Florêncio, tenha alegria por tê-lo conhecido ainda menino quando cheguei ao N Caupuri.
    Saudades deste belo conto e pessoa alegre.
    Abraços fraternos.
    Elson Farias

    Responder
  13. CRISTINA REGO MONTEIRO DA LUZ
    CRISTINA REGO MONTEIRO DA LUZ says:

    Essa descrição poética e ao mesmo tempo biográfica conseguiu passar a personalidade leve e inteligente, universal, de Mestre Florêncio. O tanto que pudemos conviver com ele deu a dimensão de sua capacidade de comunicar-se, fazendo amigos das florestas aos grandes centros urbanos da América do Norte. Ele praticava uma humanidade sem fronteiras. De suas mãos veio o chá com que o então conselheiro, Mestre Henrique Boechat de Lacerda deu inicio ao Núcleo Pupuramanta, no Rio de Janeiro. Grata ao C. Aílton Carvalho e ao M. Joaquim de Queiroz pelo belo texto em homenagem ao nosso Sabiá.

    Responder
  14. Alex
    Alex says:

    M Florêncio deixou seu legado de conhecimento amizade e alegria a todos os que conheceram boas lembranças e os que escutam suas histórias se alegram um encanto de pessoa

    Responder
  15. Daniel Lisboa Ramos
    Daniel Lisboa Ramos says:

    Mestre Florêncio, tive o prazer de assistir uma sessão com ele no início da minha caminhada e hoje conhecendo um pouco mais de sua história me sinto ainda mais privilegiado em fazer parte dessa grande família.
    Parabéns aos envolvidos nessa bela homenagem.
    Viva o Mestre Florêncio…
    Viva a União do Vegetal…

    Responder
  16. JOÃO BOSCO QUEIROZ
    JOÃO BOSCO QUEIROZ says:

    Boa dia! Dia especial de alegria pelo aniversário de mais um Mestre da Origem, nordestino de fibra, discípulo “encantador” do Mestre Gabriel, Mestre de brilho que iluminou e clareia muitas pessoas com seus ensinos e seu exemplo de vida. Homem correto nos seus deveres, pai amoroso e exemplar no lar, mestre cativante e simples na maneira de viver na União. Saudades de quem sempre se fez amigo e presente na vida dos irmãos da União. Parabéns ao Blog, por compartilha essas histórias, e aos autores do texto pela justa e merecida homenagem.

    Responder
  17. José Roberto da Silva Barbosa
    José Roberto da Silva Barbosa says:

    Texto muito bem escrito, que retrata um pouco deste amigo M. Florêncio.
    Votos de felicidades a toda família e amigos.
    Abraços fraternos.

    Responder
  18. Júnior Delvy
    Júnior Delvy says:

    Realmente um Mestre que encantava com sua didática cabocla ao transmitir os ensinos e ao fazer chamadas no salão do Vegetal. Percepção aguçada e alegria no convívio com a irmandade.

    Responder
  19. Elizangela Farias
    Elizangela Farias says:

    Minha família e eu somos gratos por bons momentos nas sessões e no âmbito do terreno com a presença deste valoroso senhor, o Mestre Florêncio no Nc Caupuri.

    Responder
  20. Anderson Alves
    Anderson Alves says:

    Uma bela e singela homenagem a este homem que espalhou tantas sementes de felicidade por onde andou. Viva sempre o Mestre pelos encantos em nossa memória!

    Responder
  21. Marcelo
    Marcelo says:

    Excelente texto.
    Nos fez lembrar dos bons momentos de convivência com Mestre Florêncio.
    Parabéns ao Blog da UDV e aos colaboradores que nós presenteiam com estas lindas homenagens aos Mestres da origem.

    Responder
  22. Renato Hoisel Arléo
    Renato Hoisel Arléo says:

    Pude conhecer o M.Florêncio quando eu era criança. Especial ver a maneira com que ele tratava a gente… Com carinho e zelo. Pedia pra minha irmã mais nova chamar ele de “Vovô”, quando vinha pra a Bahia… Mais na frente pude aproveitar de sessões, e a maneira dele ensinar era especial. O tom e o peso em cada palavra, as piadas inseridas no meio de frases sérias pra “quebrar o gelo”, o jeito nas chamadas… Chegava na memória com facilidade. Era um ourives do falar. Hoje vejo que a espontaneidade dele cativou – e ensinou – muitas pessoas.

    Responder
  23. Kleber Alves
    Kleber Alves says:

    Linda Homenagem. Mestre Florencio, um amigo sempre alegre, sempre trazendo seus encantos. Tinha o talento de cativar as pessoas com as suas historias…que seus ensinos continuem cada vez mais presentes em nossas vidas… viva Mestre Florêncio.

    Responder
  24. Léo Oliveira Terra
    Léo Oliveira Terra says:

    Texto primoroso que me fez lembrar de sua bela voz presente entre os encontros. Sua palavra e seu cantar encantavam verdadeiramente.Nas cantorias pós sessão com sua alegria e coração generoso, pegava o pandeiro e cantarolava com a irmandade, bons tempos.
    Parabéns a equipe do Blog

    Responder
  25. Thiago Calazans Santos
    Thiago Calazans Santos says:

    Que alegria ver mais um texto bem escrito aqui no blog sobre a vida, história e legado do Mestre Florêncio, aquele cujo coração não havia espaço para mágoas. Exemplo de força, superação e bondade.
    Muito da nobreza da União, certamente, vem da grandeza dos nossos primeiros irmãos e mestres antigos.

    Responder
  26. Guaracy leite palmeira
    Guaracy leite palmeira says:

    Bom dia!
    M. Florêncio, mestre querido que nos fez felizes nos momentos de convívio.
    Homem simples de bom coração e um talento no vegetal.
    Saudades!
    Bom trabalho do blog.

    Responder
  27. Benito Tavares Souza Costa
    Benito Tavares Souza Costa says:

    Sim, com certeza um Mestre que tem grande destaque no desenvolvimento do Centro no nordeste. Suas felizes ideias vingaram como fecundado sementes que se espalham no chão do Brasil. Honrosa homenagem que faz lembrar o que M. Cruzeiro fez pela sua família e pela União do Vegetal. Esse esteio de luz, sem dúvida, continua iluminando todos nós pelos encantos da natureza, notadamente ao seu título dado pelo M. Gabriel, “Mestre pelos encantos”.

    Responder
  28. Alberto Teixeira Dias
    Alberto Teixeira Dias says:

    Texto excelente. Faz lembrar da juventude, alegria, inteligência e talento do M. Florêncio no trabalho pela obra e para transmitir os ensinos do Mestre Gabriel. Uma história de pelejas e vitórias. Grato aos autores, C. Ailton Carvalho e M. Joaquim de Queiroz, pela riqueza do conteúdo do texto. E gratidão ao M.Florencio pelos ensinamentos e a amizade.

    Responder
  29. Fabiana Queiroz
    Fabiana Queiroz says:

    Lindíssimo texto que retrata bem o ser humano especial que era Mestre Florêncio. Um amigo sincero que tinha um coração de menino. Enriqueceu muito a história da UDV, esse homem simples e de tanta inteligência. Sua alegria contagiante fica conosco nas lembranças de momentos vividos. Só quem conheceu de perto sabe de sua essência! Que sua lembrança e exemplo perdure por muito tempo!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *