Mestre Adamir, um jardim de saudade

| 31 julho, 2019

Juliane Oliveira*

Francisco Adamir de Lima (Mestre Adamir) faria hoje 87 anos. Conhecido por muitos na União do Vegetal por sua fidelidade aos ensinos do Mestre Gabriel e por seu bondoso coração, Mestre Adamir deixou um jardim de saudade plantado por onde andou.

Mestre Adamir esteve presente em momentos importantes da história da UDV e de seu fundador, Mestre Gabriel. Quando estava no Corpo do Conselho, em novembro de 1970, embarca acompanhando Mestre Gabriel em viagem à cidade de Fortaleza-CE. Na época, Mestre Gabriel precisava de tratamento de saúde e não havia mais recursos médicos em Porto Velho-RO que pudessem atendê-lo. Nessa viagem, um dos momentos mais marcantes é quando o Conselheiro Adamir dirige-se à atendente do INPS e pede seu auxílio para internar Mestre Gabriel, pois este já estava com a saúde debilitada:

“Tá vendo aquele senhor sentado naquele banco? O nome dele é José Gabriel da Costa, conhecido na vida espiritual por Mestre Gabriel. Quero lhe pedir por amor a Deus que encontre um recurso para ele se recuperar aqui; é um ser iluminado”**.

Daquele momento em diante, inicia-se um movimento em busca do bem-estar de Mestre Gabriel e, cumprida a missão que lhe foi confiada naquele momento, Conselheiro Adamir regressa a Porto Velho. E em muitas outras oportunidades na sua trajetória dentro da União do Vegetal destaca-se a fieldade com a qual Mestre Adamir buscou honrar o lugar que lhe cabia e ainda lhe cabe no seio da União do Vegetal.

Abaixo, reproduzimos quatro textos que nos mostram um pouco mais da personalidade desse nobre senhor que não mediu esforços para ser um auxiliar da construção da paz:

Origem

Francisco Adamir de Lima (Mestre Adamir) nasceu em Ubajara, Estado do Ceará, em um lugar pequeno, de nome Colônia Monte Alegre, na data de 31 de julho de 1932. Depois dos 15 anos, foi estudar em um seminário, por onde ficou uns três anos. De lá, quando saiu, foi para São Paulo, mas tinha no pensamento de querer ir para a Amazônia. Ainda criança ouviu de alguns seringueiros – que voltaram da Floresta Amazônica – a respeito de um chá feito pelos índios que se bebia e se viam coisas como se fosse  um cinema. Aquele assunto ficou na memória dele – como uma recordação. Viveu uns tempos em São Paulo, onde passou fome e outras dificuldades. Mudou-se para o Rio de Janeiro. Lá, alistou-se como soldado, mas não ficou muito tempo e, assim, voltou para o Ceará. Dali seguiu para Belém (PA) e, depois, chegou a Porto Velho (RO). No ano de 1964, casou-se com Maria da Conceição Ferreira Lima (Conselheira Conceição) e tiveram cinco filhos: Alkimir, Nociley, Solidei, Adamira e Natália.

Leia mais: Mestre Adamir, um pacificador.

A chegada à UDV

Em sua primeira Sessão, dirigida pelo Mestre Braga, ouviu a História da Hoasca (em 24 de novembro de 1969) e, 15 dias depois, na segunda vez que bebeu o Vegetal, associou-se à UDV. Começou a frequentar a casa do Mestre Gabriel e assistir às Sessões nos sábados e nas quartas-feiras. Em 10 de fevereiro de 1970, Mestre Gabriel o convocou ao Corpo Instrutivo e, em 28 de fevereiro de 1970, ao Corpo do Conselho, dentro de uma Sessão Instrutiva na olaria de Mestre Gabriel.

Em novembro de 1970 acompanhou o Mestre Gabriel em viagem a Fortaleza para tratamento de saúde. Em 27 de março de 1971, recebeu a Estrela de Mestre. Poucos dias antes, em 19 de fevereiro de 1971, Mestre Gabriel, em Fortaleza, ainda no hospital, lhe escreve uma carta iniciando com as seguintes palavras: “Prezado amigo, e Mestre, Adamir, Luz, Paz e Amor”. Dessa forma demonstra que o considera um Mestre e também um amigo.

Leia mais: Mestre Adamir, um amigo verdadeiro.

O trabalho pela UDV

Em 1974, Mestre Adamir, juntamente com sua família, mudou de Porto Velho-RO e fixou residência na cidade de Jaru (RO), recebendo a autorização para distribuir o Vegetal. Em 29 de outubro de 1974 realiza, em sua residência, o primeiro Preparo de Vegetal com cinco feixes de Mariri em uma Casa de Preparo coberta de palha de coqueiro.

Inicialmente e durante um tempo, as Sessões foram realizadas na residência de Mestre Adamir, situada nos fundos da sua loja de materiais de construção. Nessa época, buscando trazer discípulos, Mestre Adamir chama para perto de si Francisco dos Anjos Feitosa (Mestre Sidom), Mestre Manoel Pires e outros discípulos, permanecendo nesse local até a data de 24 de novembro de 1980. Feita a aquisição do terreno atual do Núcleo, se constrói no local um templo de madeira.

Leia mais: Núcleo Mestre Rubens inteira 42 anos em Jaru (RO).

Amizade com Mestre Sidom

Mestre Sidom e Mestre Adamir eram grandes amigos, compadres e irmãos de caminhada. Na fundação do Núcleo Mestre Rubens, Mestre Sidom foi morar em Jaru para auxiliar a estruturar aquele Núcleo. Mestre Adamir ficou à frente da Representação por 14 anos e Mestre Sidom por 7 anos. Durante um tempo também o Mestre José Luiz de Oliveira, atualmente Mestre Assistente Geral e membro do Conselho da Recordação dos Ensinos do Mestre Gabriel, esteve junto com eles. Alguns contam que a afinidade dos três era tal que por vezes um sabia o que o outro pensava, sem que nenhum tivesse conversado com o outro.

Foi no Núcleo Mestre Rubens que Mestre Sidom trouxe pela primeira vez a Chamada “Jardim Florido”, durante uma Sessão num Preparo dirigida pelo Mestre Adamir. Os dois se complementavam no Salão do Vegetal. Quando o primeiro trazia uma doutrina mais rente, o segundo vinha aconselhando, com palavras que soavam como bálsamo para os irmãos. Mestre Sidom tinha o dom do Conselho.

Leia mais: Mestre Sidom e seu dom de encantar.

*Juliane Oliveira é integrante do Corpo Instrutivo da Sede Geral (Brasília-DF).

**Trecho do livro “Mestre Gabriel, o Mensageiro de Deus” (Ruy Fabiano, fevereiro de 2012, Editora Pedra Nova).

8 respostas
  1. José Roberto Acre
    José Roberto Acre says:

    Que maravilha, também somos conhecedores das virtudes deste amigo verdadeiro.
    Felicidades a toda família a quem queremos muito bem e a toda irmandade do Núcleo Mestre Adamir.
    Abraços fraternos do amigo.

    José Roberto da Silva Barbosa.

    Responder
  2. Alexandre Ribeiro
    Alexandre Ribeiro says:

    Conheço a filha do Mestre Adamir. A senhorita Natália. Tive a oportunidade de conhecer belas histórias sobre o seu Pai. Fico feliz em ver essa homenagem da UDV a uma pessoa tão especial.

    Responder
  3. Aurenita
    Aurenita says:

    Viva 31/07, Aniversário de M. Adamir, pessoa serena no jeito de falar e trazer os ensinamentos . Tenho boas lembranças dele em sessão no N.Apuí e tb em Fortaleza. Boas lembranças.

    Responder
  4. Antônio Honório Ferreira
    Antônio Honório Ferreira says:

    Reconhecimento e gratidão aos primeiros irmãos!
    Um abraço à toda a família!
    Continuem com Deus!

    Antônio Honório Ferreira, N. Santana do Paraíso, MG.

    Responder
  5. Netto Companny
    Netto Companny says:

    Bom Saber que o Mestre Gabriel formou não só mestres, mas tambem amigos… Isso nos aumenta a fé no praticado desse grande mestre de luz universal…

    Netto Companny – Núcleo Mulateiro – Envira

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta para Eunice Brito Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *