Mestre Gabriel e a identidade cristã – 3 (O bem feito em segredo)

| 19 Janeiro, 2023

O Blog da UDV publica hoje o terceiro e último texto da trilogia Mestre Gabriel e a identidade cristã. Os dois primeiros, com os subtítulos “De Graça recebeste, de graça deve dar” e “A outra face”, foram publicados em 4 e 12 de janeiro de 2023 e podem ser acessados por intermédio de links que estão ao final.

Salomão Taumaturgo Marques*
Tito Liberato**

O que nos revela o Evangelho

Jesus ensinou que, quando quisermos falar com o nosso Pai Celestial, devemos orar secretamente, sem precisar demonstrar publicamente a nossa fé e que, quando formos auxiliar o nosso próximo por meio de atos de caridade, não saiba a mão esquerda o bem que fazemos com a mão direita (Mateus 6: 1-6).

Com essa mensagem, Jesus mostrou que o bem não deve ser feito com o interesse de ser visto pelos outros, anunciado por meio de trombetas, como se fazia à época, para que todos observem e admirem o benfeitor.

A bondade deve ser uma prática natural de quem busca atender as necessidades dos seus irmãos, como ensinou Jesus ao revelar que maior que aquele que se senta à mesa é aquele que serve (Lucas 22:27).

Ao praticarmos o bem desinteressadamente, seremos merecedores do bem maior que é o amor do nosso Pai que está no céu, pois toda caridade que praticamos a qualquer dos seus filhos é ao Pai que estamos servindo (Mateus 25: 31-46).

O exemplo do Mestre Gabriel

Na mesma linha que ensinou Jesus, o Mestre Gabriel explicou que o bem se faz sem saber e só quem foi beneficiado é que sabe.

Um discípulo de nome Santiago relata que uma pessoa teve sua casa destelhada por uma ventania e pediu auxílio a uma pessoa da irmandade de nome Augusto, que prontamente o auxiliou pelo período de uma semana para reconstruir a casa. Mais adiante, Augusto precisou do mesmo irmão a quem ele antes havia auxiliado, pedindo-lhe recursos financeiros. Por falta de condições, a pessoa não pode atendê-lo, desagradando as expectativas de Augusto, que queria ter um retorno do bem que havia feito.

Com isso, Augusto demonstrou sua insatisfação com o irmão, alegando que ele anteriormente lhe havia feito um bem e que agora não estava recebendo dele o mesmo bem, chegando a queixar-se ao Mestre Gabriel a respeito do que havia ocorrido. O Mestre Gabriel, então, diz a Augusto que ao alegar ter feito o bem sua conduta ficou sem valor, pois o bem não se faz pensando em si e nem se pode dizer que se faz o bem.

Outro exemplo de fazer o bem sem olhar a quem, dado pelo Mestre Gabriel, é encontrado no acontecimento que envolve sua vizinha, dona Francisca, que não gostava da UDV e nem do próprio Mestre Gabriel, a quem ela tentou prejudicar em diversas ocasiões.

Um dia o marido dela faleceu e ela ficou sozinha com cinco filhos para criar, todos ainda pequenos, e começou a atravessar dificuldades financeiras para manter o lar e a família.

De repente, todo mês ela começou a receber uma cesta básica custeada pelo Mestre Gabriel, que, em um gesto de humildade e de discrição, havia pedido ao dono da mercearia para não revelar à dona Francisca que era ele quem vinha pagando pelo rancho, até que chegou o dia que Mestre Gabriel desencarnou e a cesta não foi mais entregue.

Já em dificuldade, dona Francisca perguntou ao dono da mercearia o porquê de não ter chegado mais cestas básicas, ao que ele lhe respondeu: “Francisca, você sabe quem mandava o teu dinheiro?  Era o Gabriel que dava essa alimentação”. Ao ouvir essas palavras ela entrou em prantos de lágrimas, ao se lembrar do que sentira pelo Mestre Gabriel e mesmo assim ele a pagou com o bem, dando um claro exemplo de que o auxílio ao semelhante deve ser desinteressado, sem esperar nada em retribuição.

A verdade eterna

O Mestre Gabriel ensinou e praticou os mesmos ensinos de Jesus, porque a verdade é uma só, eterna e imutável. Como está nas Sagradas Escrituras (Mateus 5:18), até que o céu e a terra passem, não se modificará um jota ou um til da Lei de Deus.

É a capacidade de amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos que nos torna discípulos de Jesus e pela prática dos seus ensinos que auxiliamos o Mestre em sua principal missão, de tornar nossa convivência mais fraterna e assim construir uma paz no mundo.

>> Acesse aqui e leia a publicação “Mestre Gabriel e a identidade cristã – 1 (De graça recebeste, de graça deve dar)”;
>> Acesse aqui e leia a publicação “Mestre Gabriel e a identidade cristã – 2 (A outra face) 

Salomão

*Salomão Taumaturgo Marques é integrante do Quadro de Mestres da Sede Geral (Brasília-DF) e Vice-Presidente e da  Associação Prosperar;

Tito

**Tito Liberato é membro do Corpo do Conselho e monitor do Departamento de Memória e Comunicação (DMC) da Sede Geral (Brasília-DF).

15 respostas
  1. Joana D'Arc Zanelli
    Joana D'Arc Zanelli says:

    Uma alegria ter o nosso Mestre sempre nos ensinando, com sua prática, como fazer o bem se olhar a quem. Neste mesmo sentido, por meio das ações de Beneficência no Centro, nós, seus discípulos, seguindo o exemplo do bondoso coração do Mestre, nos colocamos neste lugar de levar uma Paz ao coração do próximo. Fraternalmente.

    Responder
  2. José Isal Duarte
    José Isal Duarte says:

    O Mestre Gabriel em sua infinita sabedoria nos enche de alegria, confiança.
    Cada vez mais mostra que estamos no caminho certo; Que alegria eu sinto pela bondade de Deus.

    Responder
  3. Sandete Ferrão
    Sandete Ferrão says:

    Acho importantíssimo saber as práticas do nosso guia ispiritual pois elas nos fortalecem a seguir seus ensinamentos.
    Grata por compartilharem.

    Responder
  4. AUGUSTO PESSOA DO REGO LOBO
    AUGUSTO PESSOA DO REGO LOBO says:

    Ensinos finos onde cada personagem cumpre seu papel e o Mestre sempre nos trás com exemplos simples um testemunho de que a vida espiritual está no dia-a-dia, em como agimos e vemos nossos irmãos de jornada.

    Responder
  5. Valéria
    Valéria says:

    O Departamento de beneficência – que contempla a todos os caianinhos – vem trabalhando de maneira discreta, mas procurando conservar os mesmos princípios. Aproximem-se mais, procurem conhecer mais as ações e projetos, a Casa da União: seja um voluntário e plante a flor do bem…

    Responder
  6. ANA L M FRAGASSI
    ANA L M FRAGASSI says:

    Perceber a importância dos exemplos “Desses Seres Divinos” é uma oportunidade que tenho de examinar minha prática. É tão simples ser simples, mas o orgulho, a inveja e o ciúme embaçam em alguns momentos meu enxergar. Gratidão a vocês por essas publicações que movimentam a trabalhar o autodesenvolvimento e assim modificar a expressão da minha alma.

    Deus abençoe.

    Responder
  7. Miguel Romero
    Miguel Romero says:

    Mestre Gabriel é uma muito boa referência pra nós, discípulos, seguir em nosso dia a dia. Por exemplo, quando temos dúvida de que fazer ou como fazer em determinada situação ou que atitude ter, é só lembrar de como nosso guia agia e proceder em consequência, da forma mais parecida possível. São muitos os exemplos que temos de corretos comportamentos, registrados pelos Mestres do Conselho da Recordação os Ensinos do Mestre Gabriel. Também podemos nos perguntar: como ou que faria Mestre Gabriel se fosse eu, nesta situação, e em silêncio receber a resposta, que seguro nos chega, e fazer.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *