Zeladores de Núcleos da UDV participam de capacitação na floresta

Gabriela Marcondes*

| 14 dezembro, 2018

Participantes da 9ª Capacitação na sombra da Samaúma | Foto: Central de Formação de Plantadores

Nos dia 8, 9 e 10 de novembro, o Departamento de Plantio e Meio Ambiente realizou mais uma capacitação na Central de Formação de Plantadores e Zeladores, no município de São João da Baliza, em Roraima (16ª Região). A atividade destinou-se principalmente aos zeladores de Núcleos do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. Ao todo, cem pessoas participaram do treinamento, entre os quais 23 zeladores.

Localizada numa região de floresta ainda preservada, a Central de Formação de Plantadores possui uma área de cerca de 60 hectares onde se pode encontrar uma grande diversidade de fauna e flora, com muitas espécies da Amazônia.

Lá, os participantes tiveram a oportunidade de aprimorar o conhecimento sobre o plantio e manejo do Mariri e da Chacrona (as plantas utilizadas no Preparo do Chá Hoasca, também conhecido como Ayahuasca), conhecer um pouco mais outras plantas nativas da floresta (Samaúma, Castanheira, Mulateiro, etc.) e ainda participar de oficinas de capacitação, como construção de cercas de arame liso e arame farpado, fabricação de estacas de concreto, manutenção de motores e ferramentas, combate a incêndios, entre outras.

Importância nos Núcleos

Segundo o Mestre Central da 16ª Região e Presidente da Central de Formação de Plantadores, Aloysio Menezes Junior, essa capacitação voltada aos zeladores se deve principalmente à importância deles nos Núcleos. “Eles têm a responsabilidade de cuidar da manutenção dos Núcleos, zelar pelo terreno e pelo plantio, realizar podas, e nós sabemos que muitas vezes ainda têm pouca experiência. Daí a importância dessa capacitação”, explica.

Uma das participantes do encontro foi Maria Alves Nascimento de Souza, zeladora e integrante do Corpo do Conselho do Núcleo Jardim do Chacronal (Tefé-AM). Ela conta que a experiência foi muito gratificante. “Aprendemos mais alguma coisa para fazer pela União do Vegetal, e isso é muito relevante. É um reconhecimento também ao trabalho do zelador que está na UDV, zelando, cuidando e desenvolvendo o amor pelo seu trabalho”, ressaltou ela.

Já o americano Alex Pogzeba destacou a oportunidade de poder participar pela segunda vez de uma capacitação na Central. Filiado à Distribuição Autorizada de Vegetal do Havaí (Estados Unidos), Alex é integrante do Corpo Instrutivo e zelador do plantio naquela região. “Essa capacitação está sendo bem importante para aprender mais sobre o cultivo do Mariri e da Chacrona, e também sobre outras plantas sagradas da Amazônia”, enfatizou.

Renovação 

Visitando pela primeira vez a Central de Formação de Plantadores, o Mestre Assistente Geral do Centro, José de Anchieta Torreão de Sá, afirmou estar maravilhado pelo trabalho realizado em Roraima. “Me senti renovado e volto para casa com o pensamento de auxiliar ainda mais neste trabalho tão nobre e importante. Tenho o sentimento de que todos nós somos zeladores da União do Vegetal, que começou com o Mestre Gabriel, que foi o primeiro zelador desta Obra”, afirmou Mestre Anchieta.

Quem também esteve presente foi o Mestre Representante do Núcleo Menino Deus (Manaus-AM), Armínio Pontes. Veterano nas capacitações em São João da Baliza, Mestre Armínio ressaltou a importância do trabalho da Central de Formação de Plantadores e Zeladores. “Já são mais de 800 pessoas que participaram das capacitações aqui em Roraima. Isso é fundamental, principalmente para a melhoria do trabalho de plantio nos Núcleos da UDV. E fazer uma capacitação voltada para zeladores é ainda mais importante, pois são eles que estão no dia a dia dos Núcleos”, destacou Armínio, que já ocupou o lugar de Diretor do Departamento de Plantio e Meio Ambiente e também de Mestre Central da 2ª Região.

A origem da Central 

No dia 10 de novembro, a Central de Formação de Plantadores e Zeladores comemorou oito anos da sua inauguração, que aconteceu no ano de 2010. A história da Central tem origem no início da União do Vegetal no Estado de Roraima. O Núcleo Estrela do Oriente surgiu em 1984 para atender discípulos que bebiam o Chá Hoasca em Boa Vista.

Sob responsabilidade do Mestre Manoel Nogueira, foram feitas as primeiras pesquisas de Mariri e Chacrona na região. Naquela época, as plantas não foram encontradas. O Vegetal era trazido de Porto Velho ou de Manaus e, ao mesmo tempo, desenvolveu-se um plantio no Sítio Apuí, doado pelo Mestre Francisco de Borges Monteiro.

De acordo com o Mestre Aloysio Menezes Junior, no início dos anos 90, novas pesquisas de Mariri foram feitas no sul do estado, em São João da Baliza, mas os primeiros pés de Tucunacá nativos só foram encontrados na floresta em 1996. Em meio às pesquisas, iniciou-se ainda um plantio na região de São João da Baliza, que também atendia o Núcleo Boa Vista, recém-criado na capital de Roraima.

Posteriormente, houve a aquisição de um terreno maior, de 60 hectares, onde havia pés nativos de oito dos Nove Vegetais – faltava apenas a Imburana-de-Cheiro. Era o início das atividades do Sítio José Gabriel da Costa, que se tornou a sede da Central de Formação de Plantadores e Zeladores.

* Gabriela Marcondes é integrante do Corpo Instrutivo do Núcleo Boa Vista (Boa Vista-RR).

1 responder
  1. Flavio Pacheco
    Flavio Pacheco says:

    Pela primeira vez estive lá na Baliza vivendo e vendo uma irmandade dedicada ao plantio, à obra do Mestre Gabriel. O amor que eles têm pelo lugar, os conhecimentos que nos foram transmitidos e o cuidado com cada um dos visitantes são bons exemplos que quero buscar aprender e por em pratica.
    Vale a pena conhecer São João da Baliza, lugar de paz e conhecimento da floresta.
    Sou grato a todos da organização desta capacitação, Mestres Aloysio, Marineuldo, Atílio, Carlito, Romulo, Conselheira Fabíola e todos os outros! Soldados deste batalhão da paz! Saúde a todos! Um dia volto com minha família. Até breve.

    Gratidão.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *