UDV participa de pesquisa para sequenciamento genético do Mariri e da Chacrona

Pablo Nogueira*
Vinicius Lima**

| 29 Outubro, 2021

EstudO pretende, pela primeira vez, sequenciar o DNA do Mariri e da Chacrona, Mairiporã – SP | Paulo Moreira.

Nos dias 24, 25 e 26 de setembro, o Núcleo Menino Galante, localizado na Serra da Cantareira (Mairiporã-SP), abriu as portas de seu plantio de Mariri e Chacrona para receber a visita de sete pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e da Universidade Federal de Roraima (UFRR). A visita dos pesquisadores é parte de um estudo que pretende, pela primeira vez, sequenciar o DNA do Mariri e da Chacrona. A União do Vegetal ofereceu apoio logístico, forneceu a hospedagem, a alimentação e auxiliou os pesquisadores na coleta das amostras das duas plantas.

O projeto de pesquisa com apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é denominado “Unindo genômica, conhecimento tradicional, botânica e neurociência através do sequenciamento do genoma parcial dos dois principais componentes do Chá Ayahuasca: Banisteriopsis caapi e da Psychotria viridis” (os nomes científicos respectivamente do Mariri e da Chacrona). Na UDV, o Chá Ayahuasca é denominado Vegetal ou Hoasca.

Um dos coordenadores do trabalho é o professor Francisco Prosdocimi, da UFRJ, que é biólogo especialista em bioinformática e genética. Ele explica que o sequenciamento do DNA do Mariri e da Chacrona vai permitir conhecer mais o funcionamento biofisiológico das plantas e seus potenciais terapêuticos.

A coleta das amostras do Mariri e da Chacrona na Serra da Cantareira é a segunda etapa da pesquisa. Da primeira etapa, iniciada em 2017, não puderam ser extraídos, no Brasil, o DNA das primeiras amostras. Agora parte do novo material será catalogado pela Unesp, em Jaboticabal (SP), e parte será enviado para a Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, onde uma empresa será paga para extrair os genes. “Eles têm maior know-how para fazer a extração dos DNAs”, complementa Prosdocimi.

>> Veja mais informações sobre essa pesquisa no Blog do UDV-Ciência clicando aqui

*Pablo Moreira é integrante do Corpo Instrutivo do Núcleo Menino Galante (Mairiporã-SP).
**Vinicius Lima é integrante do Corpo Instrutivo do Núcleo São João Batista (Mairiporã-SP).

6 respostas
  1. ROBERT ARISSON OLIVEIRA DOS SANTOS
    ROBERT ARISSON OLIVEIRA DOS SANTOS says:

    Muito importante esse estudo, o estudo do Mariri e da chacrona cientificamente é sempre algo supriendente devido às confirmações que eles vem trazendo, mostrando a convicção e a grande sabedoria desse Mestre q nos ofertou dessa dádiva.

    Responder
  2. Luiz Guilherme Nascimento
    Luiz Guilherme Nascimento says:

    Bom saber que estará sendo feita esta pesquisa. Será mais uma referência científica e comprovação do que o M Gabriel nos ensinou. Que o vegetal é comprovadamente inofensivo a saúde.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *