Núcleo Apuí, a UDV chega à Bahia

 *Gabriel Guedes Franco Lima Gomes

Irmandade do Núcleo Apuí – 22 de julho de 2000 | DMD/Núcleo Apuí

Em 2 de julho de 1976, chegou a Salvador Raimundo Nonato Marques, na ocasião,  mestre da União do Vegetal e que convivera com o Mestre Gabriel. Sobrinho de Mestre Florêncio Siqueira de Carvalho, já havia sido Mestre Representante no Núcleo Caupuri (Manaus – AM), fundado por Mestre Florêncio. Por motivos particulares, precisou deixar Manaus. E escolheu, como destino, a Bahia.

Mestre Nonato encontrou Marival Oliveira, discípulo do Corpo Instrutivo da UDV que, naquela época, residia em Porto Alegre (RS), mas passava alguns dias em Salvador. Os dois se encontraram em uma pequena casa no bairro Boca do Rio, beberam o Vegetal e, em seguida, foram à praia.

Clique aqui e acesse a Galeria de Imagens do Núcleo Apuí.

Uma sessão fora marcada para o mesmo dia 2 de julho, para a qual Marival, convidou diversos conhecidos, a maioria estrangeiros. “Assim, a União do Vegetal chegou à Bahia e ao Nordeste do Brasil, pelas mãos de um dos mestres feito pelo Mestre Gabriel”, explica mestre Anchieta Torreão de Sá em um artigo, na ocasião dos 30 anos do Núcleo Apuí.

Quando mestre Nonato chegou à Bahia, trouxe consigo o estatuto da UDV e 10 litros do Chá Hoasca, que foram entregues por Mestre Florêncio. Aquela quantidade  não durou muito tempo. Recorreu, então, à Sede Geral da UDV, ainda em Porto Velho (RO). O Vegetal não foi liberado, pois Nonato havia sido afastado da comunhão do Vegetal.

Sentindo a responsabilidade por aquelas pessoas a quem tinha dado o Vegetal, ele decidiu viajar ‘à Porto Velho para conversar com o Mestre Geral Representante, João Ferreira de Souza (Mestre Joanico). Ao chegar lá, soube que o mestre Joanico se encontrava em Manaus, e que só ele poderia deliberar sobre aquele assunto.

Nessa mesma viagem, Nonato encontrou com Augusto Queixada, que tinha sido discípulo da UDV na   época do Mestre Gabriel e estava bebendo o chá por conta própria. Combinou com ele, então, para que ficasse enviando vegetal para a Bahia.

Regularização

A distribuição na Bahia foi regularizada em 1978 por Mestre Joanico.  Em seguida, ele foi até Salvador e, em uma sessão na antiga sede de Itapuã, convocou Antônio Gabriel e Anchieta para o Corpo do Conselho. Logo em seguida, já de volta à UDV, mestre Nonato convocou Alberto Herrera e Antonia Herrera para o Corpo do Conselho. Foram esses os primeiros conselheiros naquela região.

A primeira sede do Núcleo Apuí foi uma pequena casa alugada em Itapuã até quando Sérgio Hazin chegou à União e doou um terreno, no município de Lauro de Freitas, onde é hoje a sede atual do Núcleo. A construção do templo definitivo foi iniciada em junho de 1980. AIberto Herrera foi responsável pela obra. O templo foi inaugurado em 22 de julho do mesmo ano. Naquele mesmo dia, Alberto Herrera recebeu a Estrela de Mestre.

O Núcleo Apuí deu origem aos núcleos Serenita e Vento Divino (Salvador); Coração de Maria (Coração de Maria – BA), Reis Magos (lhéus – BA), Cajueiro (Recife – PE) e Tucunacá, (Fortaleza – CE). Atualmente, a 4ª Região da UDV tem 13 núcleos e mais de 1600 associados.

Primeiros irmãos

Graças ao apoio dos primeiros irmãos que a União do Vegetal pode se consolidar na Bahia e, consequentemente, no Nordeste. Mestre Nonato teve o apoio de sua esposa, Roxana, e pessoas como Hírcio Peixoto, Fernando Hoisel, Alberto Herrera, Antonia Herrera, Evelina Hoisel, Alberto Hoisel, Anchieta Torreão, Lígia Telles, Sérgio Hazin, Aurenita, Carlos Dantas e Idevaldo Marques e tantos outros irmãos, que estiveram ao seu lado para dar continuidade à história da Hoasca na Bahia.

Fazer aqueles jovens da década de 70 do século passado se adequarem ao ritual da UDV, ao uniforme, foi uma tarefa que demandou talento do Mestre Nonato, que soube cativar aqueles discípulos. Muitos deles, hoje, ocupam lugares importantes na estrutura da União do Vegetal.

Raimundo Nonato Marques chegou a ocupar o lugar de Mestre Geral Representante da União do Vegetal, entre abril de 1998 e fevereiro de 1999. Atualmente, não está associado ao Centro.

Família de Mestre Gabriel

Mestre Nonato falava da existência de um irmão do Mestre Gabriel, Antônio Gabriel, que morava em Feira de Santana (BA). De uma viagem a Porto Velho, ele voltou com o endereço de uma pessoa que conhecia alguém da família.

Três viagens foram organizadas por Mestre Nonato para localizar a família de origem do Mestre. Na segunda, encontraram Antônio Gabriel na casa em que residia em Feira de Santana (BA).

Na terceira, chegaram ao sítio de João Gabriel, outro irmão de Mestre Gabriel que vivia em Pé de Serra (BA). Foi nessa ocasião que conheceram Dona Prima, mãe do Mestre Gabriel. Nesse sítio, em diversas ocasiões, foram realizadas sessões, nas quais, familiares de Mestre Gabriel beberam o Vegetal, inclusive D. Prima.

Sócio-fundador do Apuí, Mestre Antônio Gabriel teve uma importante participação na história do núcleo. Suas lembranças de infância com o irmão José Gabriel da Costa, sua participação dentro e fora da sessão, foram preciosas para a formação daqueles irmãos que iniciaram o trabalho na Bahia.

 

*Integrante do Corpo do Conselho do Núcleo Serenita (Salvador-BA)

Pesquisa das fotos históricas: Felipe Wenceslau, monitor do Departamento de Memória e Documentação e membro do Corpo Instrutivo do Núcleo Apuí e José Anchieta Torreão de Sá, membro do Conselho de Administração Geral (CONAGE).

7 respostas
  1. Laryssa V. Lopes
    Laryssa V. Lopes says:

    Muito bom texto! Conta a história e chegada da UDV na Bahia de forma breve e compreensiva. É sempre bom publicar coisas assim, para que cada vez a UDV e sua origem seja reconhecida por nós discípulos dela e também para os que ainda não são e faço votos que a União possa continuar crescendo mais e mais, dominando o mundo e cumprindo assim com as palavras do nosso mestre e amigo José Gabriel da Costa. LUZ, PAZ e AMOR para todos nós.

    Responder
  2. Nazareth Roriz
    Nazareth Roriz says:

    Muito bom e importante sabermos como tudo começou no nosso estado e núcleo, para não corrermos o risco de pensar que tudo sempre foi como é hoje, houve quem trabalhasse para termos o conforto que temos e muitas gente contribuiu para termos o privilégio de beber vegetal nessa sede.
    Sou grata aos irmãos do início e peço ao mestre que nos dê força e coragem para darmos continuidade a essa grande obra. Devo agradecer também quem teve e tem o trabalho de documentar essa bela estória.

    Responder
  3. Rosa
    Rosa says:

    Bom saber das raízes de nossa Sagrada União!
    Até onde entendi o N. Cajueiro se originou do N.Apuí… pq não é citado na matéria?
    “O Núcleo Apuí deu origem aos núcleos Serenita e Vento Divino (Salvador); Coração de Maria (Coração de Maria – BA), Reis Magos (lhéus – BA), e Tucunacá, (Fortaleza – CE). Atualmente, a 4ª Região da UDV tem 13 núcleos e mais de 1600 associados.”

    RESPOSTA: Rosa, a informação foi incluída no texto. Grata por sua contribuição.

    Responder
  4. Erley Dutra
    Erley Dutra says:

    Uma pena que a pessoa que iniciou esse trabalho hoje esteja distribuindo o vegetal por conta propria sem ser pela UDV, mas tem seu valor. Peço ao Mestre que possa tocar o coração dele e ele possa reconhecer e voltar ao caminho do Mestre.

    Responder
  5. Lúcia
    Lúcia says:

    Muito legal o texto e as fotos para conhecermos ainda mais sobre a história do início da udv na Bahia.
    Pelo pouco que conheço, acredito que a foto 9 de 17 não foi em 2000 como está escrito na legenda mas depois desse ano, provavelmente depois de 2009.

    RESPOSTA: Lúcia, segundo nos foi informado pelo DMD do Núcleo Apuí, a foto é do dia 1º de novembro de 2015 e já foi corrigido na Galeria de Imagens. Att, equipe do blog.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *