Mestre Sidom: um dos jardineiros na União do Vegetal

Flávia Ilíada*

| 25 fevereiro, 2019

Mestre Sidom e irmãos da UDV | DMC/Sede Geral.

Hoje Mestre Sidom completaria 87 anos e o Blog da UDV relembra alguns dos momentos vividos nesta religião que passou a ocupar um espaço significativo na sua história.

Francisco dos Anjos Feitosa, nome de batismo do M. Sidom, chegou à União do Vegetal a convite de seu compadre, Clemente Bezerra Guedes (em memória), companheiro da simpática Conselheira Raimunda – que também conheceu o Mestre Gabriel e atualmente é sócia do N. Mestre Pernambuco, em Porto Velho.

Mestre Sidom contou a história da Hoasca no segundo concurso para Mestre da União do Vegetal e foi aprovado ainda na presença do Mestre Gabriel em matéria, sendo um dos Mestres formados pelo Guia Espiritual desta santa Obra.

Quando comecei a estudar um pouco mais da vida desse senhor, me chamou a atenção a sua profissão: mecânico da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, portanto ex-ferroviário – tal qual meus avós. Numa oportunidade anos atrás, entrevistei sua companheira, Conselheira Losa, que nos atendeu com sua simpatia marcante e jeito simples de trazer sua vivência no Vegetal, desde a época dos seringais da Amazônia. Naquela ocasião, pude conhecer um pouco mais do jeito de ser do seo Sidom. Tempos depois, entrevistei uma de suas filhas, Janaína – Corpo Instrutivo no N. Mestre Gabriel (RO) –, que trouxe o lado terno de um pai amoroso, que cultivava um grande respeito e confiança no Mestre Gabriel, algo que conseguiu transmitir aos filhos, que seguem na União do Vegetal: Rosano, sócio no N. Belo Jardim (AC); Clênio e Sidom, estes pertencentes ao Quadro de Mestres, respectivamente nos Núcleos Coração do Mestre e Belo Jardim, no Acre.

Os que conviveram com Mestre Sidom lembram que uma de suas características mais marcantes era a discrição. Procurava servir ao Mestre sem alardear seus feitos, como, por exemplo, os consertos que fazia no caminhão do Mestre sem cobrar. Mestre Gabriel mesmo não era muito afeito a essa prática. Na primeira vez que Mestre Sidom consertou seu caminhão e não quis lhe cobrar, o Mestre não aceitou.

Em uma entrevista concedida à Conselheira Lúcia Gentil, em 1994, para o Alto Falante, Mestre Sidom relembrou como o Mestre pensava a esse respeito: “Mestre Gabriel era uma pessoa justa. Dizia que, se a pessoa trabalhou, é um direito receber a recompensa pelo trabalho. Então por isso que não quis receber o presente. ‘O senhor trabalhou, empatou o seu tempo aqui, é meu dever lhe pagar’”, lhe disse o Mestre.

Mas aquela era a forma que seu Sidom arrumou de auxiliar de alguma maneira, dada a simplicidade das condições materiais nas quais vivia o Mestre. Esse era um tema, inclusive, que prendia o pensamento do Mestre Sidom e aqui replico um trecho do livro de autoria do Mestre Edson Lodi, Cantiga de Viola – Relicário de Sons do Sertão:

“Certa vez, Mestre Sidom foi até a casa de Mestre Gabriel e ficou observando-o deitado em uma rede simples, que evidenciava os poucos recursos materiais de que dispunha. E ficou pensando no que poderia fazer para auxiliá-lo.

Em seguida, Mestre Gabriel, como se lesse o pensamento dele, levanta-se da rede e diz:

— Seu Sidom, vou colocar uma música para o senhor ouvir e entender minha vida.

E colocou na eletrola a música ‘Uma Casa de Caboclo’, de Nonô Basílio, na interpretação de Nonô e Naná”.

A minha casa que é casa de caboclo / não tem conforto como outras casas têm / o que eu tenho realmente é muito pouco / mas felizmente dá pra mim e mais alguém / Graças a Deus é uma casa abençoada / na minha mesa sempre tem o que comer / e porventura se alguém pedir pousada / esteja certo que hospedo com prazer…

Mestre Sidom | DMC/Sede Geral.

Núcleo Mestre Sidom

Em outubro deste ano inteira 25 anos desde que os trabalhos da União do Vegetal tiveram início na cidade de Sobral-CE, liderados pelo Mestre Francisco Xavier de Lima Sobreira. Naquela cidade foi fundado pouco tempo depois o Pré-Núcleo Mestre Sidom, que possui o memorial “Mestre Iagora”, onde há uma sala de nome “Dois Irmãos” com fotos e alguns registros das famílias do Mestre Sidom e do Mestre Adamir, uma forma de celebrar e registrar a grande amizade que os dois tiveram. Na parede do templo, ao lado da foto do Mestre Gabriel, há também as fotos do Mestre Sidom e do Mestre Adamir.

Atualmente a irmandade do N. Mestre Sidom se prepara para o primeiro desmembramento, que dará origem à Distribuição Autorizada de Vegetal em Viçosa do Ceará, a aproximadamente 110 km de Sobral. A DAV já conta com 45 pessoas, boa parte delas mora naquela localidade ou em cidades próximas e está com a expectativa de ser inaugurada ainda este ano.

Relembremos com alegria alguns momentos emblemáticos da vida do Mestre Sidom, neste dia de tantas recordações para os que conviveram com ele. Para tantos de nós que não tivemos essa oportunidade, podemos também conhecer mais da história de vida desses primeiros irmãos da União do Vegetal.

*Flávia Ilíada é integrante do Corpo do Conselho do Núcleo Estrela Matutina (Brasília-DF) e contou com o apoio dos Mestres Francisco Xavier e Fábio Mendonça, integrantes do Quadro de Mestres do Núcleo Mestre Sidom (Sobral-CE), para a elaboração da matéria. Atualmente, o M. Fábio Mendonça responde pela Representação do Núcleo.

15 respostas
  1. Almir Nahas
    Almir Nahas says:

    A simplicidade e discrição são valores que nos aproximam da humildade. Que a Força da origem se mantenha sempre viva. Gratidão a M. Sidon e sua família.

    Responder
  2. Ana Cristina Lemos da Silva
    Ana Cristina Lemos da Silva says:

    Lindo de ver e ler estas histórias, a simplicidade do Mestre e o valor que dava ao trabalho das pessoas. Gosto muito de ler os textos do blog, pois assim conheço mais como a União do Vegetal começou!

    Gratidão e parabéns pelos textos!

    Responder
  3. Wilson de Abreu Salomão
    Wilson de Abreu Salomão says:

    Felicito à Direção Geral, na pessoa da Sra Flávia, por disponibilizar uma singela homenagem ao saudoso M.Sidom, por esta data em que estaria inteirando 87 anos de vida!
    Recomendo aos felizardos leitores que leiam a sugestão dada no bojo do texto acima, pra se inteirar a respeito da vida e caminhada do M.Sidom!

    Parabéns à equipe!
    Cacoal /Rondônia.

    Responder
  4. José Radier
    José Radier says:

    Todos os anos, nessa data, no Núcleo Mestre Sidom, é realizada uma sessão extra em sua homenagem, que lembro com saudades dessas sessões onde pude aprender algumas histórias desse digno senhor. Ainda ligado ao Mestre Sidon, na 14ª Região, na cidade de Macapá/AP, temos o Núcleo Jardim Florido e na 1ª Região dos EUA, na cidade Boca Raton, no estado da Flórida, temos o Núcleo Jardim Florescendo, ambos os nomes ligados à chamada de sua autoria.

    Responder
  5. Erika Madeliane
    Erika Madeliane says:

    Bela matéria, parabéns equipe do Blog. Tão importante este trabalho que nos mostra a vida de pessoas tão importantes na nossa União, nossos primeiros irmãos.

    Responder
  6. Lara
    Lara says:

    Feliz em fazer parte dessa família Sidoneira! A força da amizade do Mestre Sidom com Mestre Gabriel e Mestre Adamir, está presente nas pessoas desse Núcleo. Irmãos de verdade! Mestre Sidom nesse dia 25 de fevereiro vive!

    Responder
  7. Clenio Feitosa
    Clenio Feitosa says:

    Mestre Sidon, uma pessoa que sabia tocar o coração das pessoas. Tinha um dom em aconselhar. Quando representante no Núcleo Mestre Rubens, tinha amor aos discípulos, se preocupava quando alguém não estava bem. Saudades desse bom senhor.

    Você, meu pai, cabeça de homem, mas um coração de menino.

    Responder
  8. Roberto Souto
    Roberto Souto says:

    Mestre Sidon foi um dos mestres aprovados para o Quadro de Mestres ainda na presença do Mestre Gabriel. Uma pessoa de um coração bom, simples no falar. Hoje sinto saudade. Ele estar agora em um bom lugar. Um dia amigo vamos nos abraçar de novo.

    Roberto Souto

    Responder
  9. Henrique Boechat
    Henrique Boechat says:

    Tenho uma vivência memorável com Mestre Sidon, quando a pedido de Mestre Manoel Nogueira, então Mestre Representante do Núcleo Caupuri, ele viajou ao Rio de Janeiro, para me socorrer. Na época, havia recebido o CDC em Manaus iniciando os primeiros passos na formação do Núcleo Pupuramanta.
    E o socorro era por uma carta que enviei ao Mestre Manoel Nogueira dizendo que eu havia voltado a fumar. O presente veio pelas mãos do Mestre Sidon que realizou uma sessão do Vegetal me trazendo uma chave que solucionou minha situação.
    Que carinho marcante!

    Henrique Boechat
    QM NÚCLEO DO CRUZEIRO DO SUL, ACRE.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *