Mestre Hilton, um zelador da União do Vegetal

Juliane Oliveira*

| 6 dezembro, 2018

Mestre Hilton | Foto: Yuugi Makiuchi

Nascido em 6 de dezembro de 1910, no interior do Estado do Maranhão, no sítio de Guimarães, Hilton Pereira Pinho foi morar em São Luís aos 10 anos, onde iniciou seus estudos primários. Sempre teve vontade de conhecer profundamente os mistérios da natureza e, nessa busca espiritual, filiou-se a algumas organizações esotéricas e religiosas. Chegou em agosto de 1937 a Porto Velho, então Território Federal do Guaporé, como sargento de Exército Brasileiro para servir à 3a Companhia de Fronteira. Conheceu Mestre Gabriel e por ele foi convidado, em 1965, a conhecer a União do Vegetal.

Contribuiu para a organização do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal em diversas frentes. Desencarnou, em 24 de junho de 1985, com 74 anos, deixando um legado que se tornou importante para o desenvolvimento e a expansão da UDV.

Abaixo, um relato pessoal do seu reencontro com o Mestre e com a União do Vegetal:

Tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o Sr. José Gabriel da Costa, de quem me tornei amigo, principalmente porque frequentávamos o mesmo terreiro (São Benedito), do qual ele era Ogan. Em 1965, mudei-me para o Rio de Janeiro com toda a minha família, pois havia me aposentado. Mas, devido a meus negócios em Porto Velho, tive que voltar. Chegando aqui (Porto Velho), em 26 de dezembro de 1965, nesse mesmo dia, compareci ao terreiro de São Benedito, onde encontrei José Gabriel da Costa, meu compadre – pois, quando segui para o Rio, ele estava na Bolívia extraindo seringa.

Nessa ocasião, ele (M. Gabriel) disse: – “Compadre, agora eu sou Mestre de uma nova religião que vem nascendo em toda esta região. E Porto Velho será a sua sede e desejo que o senhor me acompanhe”. E eu vim.

Mestre Hilton, 1979 | Foto: Yuugi Makiuchi.

Primeiro Presidente e classes de filiados

Sempre trabalhando pela segurança institucional da União do Vegetal, Mestre Hilton foi responsável por escrever o primeiro Regimento Interno da UDV, que teve inicialmente 16 artigos. Posteriormente, ele e o Mestre José Luiz de Oliveira (Mestre Assistente Geral e integrante do Conselho da Recordação dos Ensinos do Mestre Gabriel) escreveram juntos os Estatutos da UDV que foram registrados em cartório em 1968, dando continuidade à formalização da então Associação Beneficente União do Vegetal e tendo o Mestre Hilton como o primeiro Presidente.

Na redação do regimento, Hilton previu, por iniciativa própria, a existência de três classes de filiados na UDV: Mestres, Conselheiros e Discípulos. Mestre Gabriel aprovou e, com base nisso, começou a graduar seus discípulos, acrescentando uma instância hierárquica: o Corpo Instrutivo. Nele, reuniu os discípulos que demonstravam maior capacidade e interesse na absorção dos ensinos e da doutrina, expressa também (e sobretudo) na transformação de condutas. (Trecho da Biografia “Mestre Gabriel, o Mensageiro de Deus”, de autoria do escritor e Mestre Ruy Fabiano Rabelo – Sede Geral, Brasília-DF)

Mestres Luis Cardoso, José Luiz e Hilton | DMC/Sede Geral.

Encontro

Mestre Hilton e Mestre José Luiz já se conheciam de antes da União do Vegetal e a renovação da amizade entre eles possibilitou que trabalhassem juntos pelo engrandecimento da Obra de Mestre Gabriel. Mestre José Luiz esteve presente em momentos importantes para o Mestre Hilton e a lembrança do amigo está presente na sua vida.

Depoimento de Mestre José Luiz a respeito de Mestre Hilton:

Quando cheguei na União do Vegetal, já o encontrei (M. Hilton) como um discípulo. Naquele tempo, só tinha de Mestre o Mestre Gabriel. Mestre Hilton era compadre de Mestre Gabriel – padrinho da Jandira. Quando foi preciso organizar a União do Vegetal, nós fomos os primeiros líderes desse trabalho de escrever os Estatutos da Associação Beneficente União do Vegetal. E, eleita a Diretoria, ele foi o primeiro Presidente. Era muito dedicado e Mestre Gabriel queria muito bem a ele.

Viajou para muitos lugares para distribuir o Vegetal, assim como outras pessoas também. Tem uma grande parcela de contribuição. Uma pessoa dedicada à União do Vegetal e autor de algumas Chamadas. Eu gostava muito dele e sinto que é uma pessoa pouco falada na União e eu sou grato por essa lembrança a ele.

Entre os lugares por onde Mestre Hilton passou levando a palavra de Mestre Gabriel, destacam-se a cidade de São Paulo-SP, onde se encontra o primeiro Núcleo da Região Sul e Sudeste do Brasil (Núcleo Samaúma); e Brasília-DF, quando ele dirigiu a primeira Sessão pela UDV e onde hoje está instalada a Sede Geral da União do Vegetal.

Gratidão

Para Mestre Hilton, a União do Vegetal foi uma casa onde ele plantou uma semente de amor e cantou sua oração de força e fé. A ele, nossa gratidão por tudo que fez pela UDV. Sua iniciativa e zelo pela UDV são exemplos a serem seguidos em prol do engrandecimento da Obra de Mestre Gabriel.

>> Leia mais: Mestre Hilton, primeiro Presidente da Diretoria da UDV

*Juliane Oliveira é integrante do Corpo Instrutivo da Sede Geral (Brasília-DF).

3 respostas
  1. CRISTIANO GOBBI
    CRISTIANO GOBBI says:

    Sinto que sempre devemos ter como espelho na nossa caminhada o sentimento desses homens simples e dedicados à Obra que auxiliaram e vem auxiliando o Mestre nesse propósito de plantar Luz, Paz e Amor nos corações. Vendo a foto do Mestre Hilton percebo um semblante de serenidade.

    Responder
  2. Fabio Angelino Fortunato
    Fabio Angelino Fortunato says:

    Mestre Hilton foi o fundador do Núcleo Samauma, 2º Núcleo da UDV, sob a Representação Geral do M. Raimundo Monteiro de Souza, em 10 de setembro de 1972. Era um homem simples, bem humorado e acolhia a todos que o procuravam, com alegria e respeito. Tinha conhecimento por dentro do Vegetal e sabia conduzir os caianinhos pela força e luz da burracheira. A palavra dele era sempre de fieldade e amizade ao Mestre Gabriel.

    Responder
  3. Leonel Generoso
    Leonel Generoso says:

    Mestre Hilton me deu o primeiro copo de vegetal na UDV. A burracheira que senti e o clima da sessão me despertaram a vontade de me associar imediatamente. Um homem que trabalhava bem com os mistérios do vegetal.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *