Marinês, a Rainha do Xaxado e a sua música na UDV

Juliane Oliveira*

| 28 Novembro, 2019

Inês Caetano de Oliveira, a nossa querida e saudosa Marinês, faria 84 anos em 16 de novembro deste ano. Nasceu em São Vicente Férrer (Pernambuco) e, muito cedo, mudou para Campina Grande (Paraíba). Foi a partir de lá que construiu sua carreira musical como cantora de forró, baião e xaxado e deixou seu legado do sertão nordestino para o mundo. Na União do Vegetal, sua música está presente desde o início e, ainda nos dias de hoje, ecoa em toda a UDV.

De voz estridente, sorriso farto e cantando canções da lida do povo sertanejo, nordestino e trabalhador, chegou aos corações dos brasileiros que se identificavam com suas músicas e também ao coração do povo sofrido que, por ora, nos rincões da Amazônia, nordestinos fugidos da seca ou em busca de dias melhores. Foi assim que a música de Marinês chegou até a antiga vitrola Belair de José Gabriel da Costa, um nordestino que vivia na Amazônia e criara ali, em 1961, a União do Vegetal e que tem a música como uma ferramenta de trabalho espiritual.

A boa música é comum aos ouvidos da irmandade da União do Vegetal, pessoas conduzidas aos estudos das palavras desde o tempo do Mestre Gabriel e que encontra – ainda nos dias de hoje – no canto forte de Marinês, uma alegria sincera, um alento para a saudade, uma palavra de esperança, um Vento de Maio**…

Oi, você, que vem de longe
Caminhando há tanto tempo
Que vem de vida cansada
Carregada pelo vento
Oi, você, que vem chegando
Vá entrando, tome assento

Desapeie dessa tristeza
Que eu lhe dou de garantia
A certeza mais segura
Que mais dia, menos dia
No peito de todo mundo
Vai bater a alegria
ôôôôôôô

Oi, meu irmão, fique certo
Não demora e vai chegar
Aquele vento mais brando
E aquele claro luar
Que por dentro desta noite
Te ajudaram a voltar

Monte em seu cavalo baio
Que o vento já vai soprar
Vai romper o mês de maio
Não é hora de parar
Galopando na firmeza
Mais depressa vais chegar
”.

Operária da paz

Sendo a música uma ferramenta de trabalho do Mestre Gabriel, as canções de Marinês são como “operárias” da paz neste grande salão que é a União do Vegetal. Mestre Gabriel e Marinês não tiveram a oportunidade de se conhecer quando ela esteve em Porto Velho (RO,) nos anos de 1960, ainda no início da UDV e no auge do seu sucesso profissional. Mas isso não foi impedimento para que ela soubesse da existência do Centro, do Mestre Gabriel, e pudesse, em ocasião oportuna, conhecer o Vegetal em 1979.

Recebeu o Chá Hoasca (também denominado Vegetal ou ayahuasca) das mãos do Mestre Manoel Nogueira da Silva, um dos pioneiros da UDV, e que então ocupava o cargo de Mestre Representante do Núcleo Caupuri, em Manaus (AM). Na ocasião, Marinês fazia um show naquela cidade e bebeu o Vegetal juntamente com o esposo Abdias, com a cantora Doroty Marques e uma irmandade de aproximadamente 30 pessoas.

Depois desse encontro com o Chá Hoasca, Marinês esteve cada vez mais presente no seio da União do Vegetal, dando sua parcela de contribuição para a Obra de Mestre Gabriel e recebendo as flores que plantou no coração de muitos irmãos. Fez amizades que perduraram ao longo dos anos e se despediu deste plano em 14 de maio de 2007, em Recife (PE).

Hoje, sua música encanta as novas gerações que chegam à União do Vegetal e possibilitam que a voz do sertão não se cale e continue entoando sua alegria, seu labor e sua saudade.

*Juliane Oliveira é integrante do Corpo Instrutivo da Sede Geral do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. 

**Vento de Maio (1967): Gilberto Gil e Torquato Neto. Esta música também tocou na primeira sessão que Marinês participou em Manaus.

17 respostas
  1. Erika Madelaine
    Erika Madelaine says:

    Que linda homenagem.
    Essa música ecoa longe em nosso ser. Quem vem de longe encontrar com o Vegetal nesta existência, sente.
    Parabéns, Juliane, pelo texto. Parabéns, equipe do blog. Abraço fraterno a todos.

    Responder
  2. Ediglelson
    Ediglelson says:

    Gosto bastante das músicas de Marinês. Estou bem feliz em poder ler este artigo. Não sabia das informações a respeito do dia em que ela bebeu o Vegetal. Muito legal. Gratidão.

    Responder
  3. Elizabete Santos
    Elizabete Santos says:

    Gostei muito de conhecer um pouco mais sobre a vida dessa cantora que tanto marcou e contribuiu na UDV. Sempre é bom termos conhecimento do histórico de pessoas importante . Gratidão por compartilhar do acervo do DMC conosco.

    Responder
  4. Sabrina Farias
    Sabrina Farias says:

    Parabens ao Blog, parabéns a UDV. Ficamos felizes em saber que o trabalho da nossa Rainha Marinês vem tocando os corações das pessoas. Obra que vem resgatando muitas almas. Mensagens que sempre deixam os nossos dias mais especiais. Ela lutou para implantar nesse mundo que jaz no maligno mensagens de resgate para salvar famílias. Na música em sua atividade terrena, muitos viraram as costas quando ela precisou. O que é de Deus ninguém tira. Seu talento era sem igual. Com seu espírito extremamente evoluído, sincero, doador e cheio de amor ao próximo. Sua obra vem dia após dia confortando, trazendo alegria com verdade a cada pessoa que tem a oportunidade de ouvir e conhecer a sua voz. Que ecoe cada vez mais nos ouvidos e corações das pessoas e que traga cada vez mais seguidores e protetores dessa obra de uma grande mulher que foi Marinês. Hoje ela se tornou o ícone e nosso anjo de luz. Obrigada a todas as homenagens.

    Responder
  5. Júlio César T S Junior
    Júlio César T S Junior says:

    Que voz!
    Quando Marines canta no Salão do Vegetal me transporto a lugares e momentos difíceis de explicar.
    Apenas sentir.
    Vi de perto e pude sentir de perto também o amor que ela tem pela nossa Sagrada União do Vegetal.

    Responder
  6. Flávia Ilíada
    Flávia Ilíada says:

    Lindo texto, Ju, parabéns por sua sensibilidade em homenagear a Rainha do Xaxado brasileiro!
    Marinês no Salão do Vegetal é a voz da esperança (para mim), lembranças do tempo do Mestre… Eita recordação!

    Responder
  7. Marcio Cruz
    Marcio Cruz says:

    Texto bem legal, bom de ler pra conhecer. Música de Marinês também retrata a Força do povo Nordestino que, mesmo na peleja de viver no sertão, não deixa de acreditar em Deus.

    Responder
  8. Tailândia Montenegro Silva
    Tailândia Montenegro Silva says:

    Bela homenagem! Conhecia a Cantora Marinês, estive com ela algumas vezes e em um desses encontros foi também com as amigas, C. Jandira e C. Joyce. Sou cantora e tenho um show que o nome é: “Farreando no Forró de Marinês.” Onde canto músicas que foram gravadas por essa senhora de voz forte e vibrante. Mas que também acalma o nosso coração. Valeu! Rainha do Xaxado! Gonzaga de Saía!

    Responder
  9. Dermeval de Sena Aires Jr
    Dermeval de Sena Aires Jr says:

    Marinês, grande dama da música brasileira de raiz, que dá verdadeiras aulas de canto em suas gravações e ecoa nos salões e corações. Inigualável e inesquecível.

    Responder
  10. Lita Passos
    Lita Passos says:

    Linda e bem merecida homenagem, parabéns a equipe do blog.
    Minha infância também é colorida pela voz de Marinês, mas o sentido mais alto só compreendi após beber o Vegetal.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta para Tailândia Montenegro Silva Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *