Saúde e espiritualidade

José Roberto Campos de Souza*

| 7 junho 2017

Mestre José Roberto, diretor do DEMEC, reforça que uma das atribuições específicas do Departamento é a de zelar pela saúde coletiva dos sócios do Centro | Foto: DMC/Núcleo Castelo de Marfim.

O Centro Espírita Beneficente União do Vegetal tem como objetivo primeiro “trabalhar pela evolução do ser humano, no sentido de seu desenvolvimento espiritual”. No cumprimento desse objetivo, o amar ao próximo como a si mesmo, o servir, mais do que ser servido, o trabalho com a solidariedade através da beneficência e o exercício da fraternidade são essenciais.

O Centro, enquanto sociedade, olha para seus sócios como os executores de seu objetivo transcendente, mas, enquanto movimento religioso, olha para os mesmos sócios com o olhar zeloso de um pai que se preocupa com o bem-estar de seus filhos. Desse bem-estar faz parte a saúde dos seus filiados.  Por isso, está lançando trabalho de prevenção e combate ao diabetes e a outras doenças degenerativas entre seus sócios e, através de seu Departamento de Beneficência, estendendo também esse trabalho para os não sócios.

| Saiba mais: UDV lança trabalho de prevenção e combate ao diabetes entre seus sócios

A saúde é uma condição básica para uma evolução mais fácil e rápida, pela preservação da atenção aos ensinos e à doutrina, pela agudeza da memória para reter e usar esses mesmos ensinos e doutrina em seu benefício e em benefício do semelhante, pelo vigor físico necessário para o trabalho em prol do crescimento do Centro e da manutenção da família e pela disposição física e mental essenciais para as demandas necessárias ao equilíbrio do homem, nas esferas do trabalho, família e religião.

Zelar pela saúde é dever de todos os que realmente compreendem que somos espíritos encarnados, em um trabalho de evolução. O corpo material nos foi dado por empréstimo, como uma ferramenta que usamos e pela qual temos o dever de zelar. Quanto melhor a nossa condição de saúde e maior o nosso tempo de vida útil, maior a possibilidade de evoluirmos e aproveitarmos a oportunidade desta encarnação.

Enquanto médicos, muito nos preocupamos ao ver que doenças graves estão surgindo cada vez mais cedo, na sociedade em geral e também dentro do Centro. A hipertensão, o diabetes, a obesidade, casos de câncer, infartos etc., são cada vez mais frequentes, desenhando um horizonte sombrio para aqueles que não zelam por esse bem tão precioso e negligenciam o cuidado consigo mesmo.

Tripé da saúde

A saúde se apoia num tripé: atividade física, controle de emoções e nutrição.

A atividade física é, sabidamente, um dos pilares de uma boa saúde e, embora precisemos de relativamente pouca em condições normais, mais importante ela se torna conforme piore a condição de saúde. Apenas como exemplo: alguns estudos mostram que as caminhadas e corridas leves têm um efeito melhor do que os antidepressivos, nos casos de depressão.

O controle das emoções é o mesmo que “controle do stress”. É trazer para a consciência o fato de que existem coisas que não estão sob nosso controle, mas com as quais teremos que conviver e as quais teremos que aceitar. É fazer uma leitura positiva dos fatos da vida e, segundo ensina nossa doutrina, sair da condição de vítima.

O terceiro pilar é a nutrição e, na atualidade, é o principal ponto a se cuidar. A vida moderna trouxe grandes avanços tecnológicos, mas, a reboque disso, trouxe uma indesejável mão humana, no processamento de alimentos e introdução de hábitos absolutamente nocivos à saúde. Alimentos que, há poucos anos, eram saudáveis sofreram modificações genéticas para aumento de produtividade ou durabilidade e se tornaram nocivos para grande parte da população. A introdução de produtos refinados e o crescente consumo de alimentos industrializados e com pouco valor nutricional está cobrando um alto preço em termos da deterioração da saúde.

Do ponto de vista da espiritualidade, toda autoagressão, como o uso de drogas lícitas ou ilícitas, bem como a negligência com as três condicionantes da saúde, podem ser entendidas como “desobediências” que poderão cobrar seu preço ao longo da vida.

Outro agravante é o alto custo dos tratamentos e dos remédios necessários ao controle – não à cura – daquelas doenças, que demandam um grande gasto financeiro e trazem um grande sofrimento ao doente e aos seus familiares.

Disciplina

O Mestre Geral Representante da UDV, Clovis Cavalieri Rodrigues de Carvalho, disse, em certa ocasião, uma frase que serve de norte para os que querem uma vida melhor e mais saudável: “a dor da disciplina é melhor do que a dor do arrependimento”. Essa frase lapidar traz um profundo significado, se entendemos o seu real sentido.

Uma pessoa que tem um hábito nocivo, por exemplo, como o do cigarro, e resolve deixar de fumar, vai sofrer intensamente nos primeiros dias e cada vez menos nos dias seguintes até vencer o vício. Ou seja, sofreu apenas enquanto estava se disciplinando a não fumar. Por outro lado, se não o tivesse feito e, no futuro, tivesse um câncer de pulmão ou garganta, o sofrimento seria maior, pela doença e pelo arrependimento.

Por outro lado, a natureza é extremamente generosa, pois mesmo anos de maus tratos podem ser amplamente revertidos com poucos meses de cuidados, dependendo apenas da orientação correta e da disposição e humildade para segui-la, condições que dependem do querer e da disciplina. Nosso desejo é ver nossa sociedade cada vez mais saudável, dando bons exemplos aos que vêm chegando e tendo uma qualidade de vida cada vez melhor.

*Integrante do Quadro de Mestres do Núcleo Luz de Maria (Campo Grande -MS) e diretor do Departamento Médico e Científico (DEMEC) da Diretoria Geral do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal.

20 respostas
  1. Nágila Boaventura
    Nágila Boaventura says:

    Muito bom! Excelente matéria!
    “Buscar a saúde é questão não só de sobrevivência, mas de qualificação da existência.”
    Boaventura de Souza Santos

    Responder
  2. Ana Georgina
    Ana Georgina says:

    Texto rico e brilhante. Impossível querer tapar o sol com a peneira ao lê-lo. Sentimento de alegria e esperança pra todos que querem viver e ver na UDV a espiritualidade em uma prática mais consciente!

    Responder
  3. Tatiana Moura
    Tatiana Moura says:

    Parabéns pela iniciativa e pelo texto que demonstra responsabilidade com amor. Estou feliz com esse movimento do DEMEC, de atenção à saúde dos sócios. Vejo como uma porta se abrindo novamente para que nós, profissionais médicos, possamos orientar e cuidar do próximo, dentro do nosso âmbito religioso.

    Responder
  4. Flávia wenceslau
    Flávia wenceslau says:

    Que bom que está sendo abordado este assunto! Temos muitas crianças no nosso âmbito que precisam do nosso exemplo também na alimentação pra crescerem conscientes que cuidar da saúde é uma obediência que só nos beneficia ao longo da vida!!

    Responder
  5. Marie Helene
    Marie Helene says:

    Tudo no tempo certo. É tempo de se examinar, de perceber a necessidade de se cuidar. Excelente texto que estimula todos nós a termos atenção com a nossa saúde física, emocional, mental e espiritual. Parabéns pela iniciativa!

    Responder
  6. Nilo Sérgio de Melo Diniz
    Nilo Sérgio de Melo Diniz says:

    Caro Dr. José Roberto,
    Muito bom e oportuno esse texto!
    Melhor ainda porque você menciona a saúde e a “agudeza da memória”. Uma ocorrência que tem me chamado a atenção, entre sócios do nosso centro, é a insônia. Muitas vezes, se apresenta na noite após a sessão ou na noite seguinte.
    Pergunto se esse pode ser também um tema a ser observado nesse programa, talvez até com um rápido levantamento, seguido de recomendações e procedimentos que possam minimiza-la, especialmente em favor da boa memória, que se fortalece com boas noites de sono.
    Parabéns pelo texto e iniciativa do DEMEC e Casa da União!

    Nilo Diniz
    N. Luz do Oriente/Presidente

    RESPOSTA:
    Realmente, Mestre Nilo, mas felizmente isso é pouco frequente e está mais ligado ao estilo de vida das pessoas. Uma coisa que temos observado, é que isso acontece repetidamente com as mesmas pessoas, o que indica uma predisposição individual. Outra observação é a de que as pessoas com tendência para insônia melhoram ao usar suplementos de magnésio.

    Att, José Roberto de Souza
    Médico e Diretor do DEMEC.

    Responder
  7. GABI
    GABI says:

    Muito bom o texto e estou feliz em ver essa disposição do DEMEC e os bons hábitos alimentares sendo assunto da UDV também. Para mim, que sou sócia, vejo que uma coisa legal a se fazer nos núcleos, em parceria com as Orgas, seria adotar lanches após sessão mais saudáveis,por exemplo: sem refrigentes, ao inves disso, levar frutas para fazer suco ou o suco pronto..chás também, aguas saborizadas, menos doces… etc

    RESPOSTA: Prezada Gabi, o trabalho do Centro é o trabalho da consciência e não devemos impor normas. Nos parece que o mais importante é cada um dar o exemplo e fazer um movimento no sentido de prover dados e informaçãoes aos que não os têm, pois assim o resultado é mais sólido e duradouro. Mobilizar as passoas da área da saúde e que tenham uma boa base de informação, fazer oficinas relacionadas à saúde, trabalhar com as crianças e tudo o mais que puder ser feito para a mudança da consciência acerca da responsabilidade de cada um com o próprio bem estar e o seu futuro, nos parece a forma mais produtiva de mudanças consistentes.

    Att, José Roberto de Souza
    Médico e Diretor do DEMEC.

    Responder
  8. Daniela Martins
    Daniela Martins says:

    Apenas uma palavra para expressar meu sentimento: gratidão!!!!
    É muito bonito ver esse e todos os movimentos que a UDV tem tido para cumprir sua missão!!!

    Responder
  9. Willian Pauli
    Willian Pauli says:

    Estou gostando deste trabalho de sensibilização ao assunto tão importante. Desejo boa sorte na continuidade do projeto, com boa receptividade, facilidade de aplicação e colheita gratificante.

    Responder
  10. Diana Damasceno
    Diana Damasceno says:

    Venho buscando ter na minha rotina a tríade da saúde. Para poder propor aos sócios que zelem por si. É uma excelente proposta de trabalho, e tendo bons exemplos a serem seguidos é mais fácil!

    Demec Vento Divino 4a região

    Responder
  11. Fernanda
    Fernanda says:

    Excelente texto! Isso aí, gostei de aprender um pouco mais, principalmente quando se refere ao tripé: atividade física, controle de emoções e nutrição. Penso assim e nos fortalece conhecer os pensamentos e posições dos responsáveis pelos departamentos da UDV.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *