Núcleo Pupuramanta, a UDV chega ao Rio

* Cristina da Luz

Irmandade no Núcleo Pupuramanta, em 1º de novembro de 2015 | Foto: DMD/Pupuramanta

Irmandade Pupuramanta

Primeiro com certidão de nascimento carioca, matriz direta de outros seis núcleos da 5ª. Região do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, o Núcleo Pupuramanta está ligado em sua origem ao Núcleo Caupuri (Manaus- AM). Em 1976, um jovem médico, então conselheiro Henrique Boechat de Lacerda, recebeu em Manaus cinco litros de vegetal de seu Mestre Representante, Florêncio Siqueira de Carvalho, com a finalidade de vir iniciar uma distribuição na cidade do Rio de Janeiro.

Como a maioria dos Núcleos da UDV, o Pupuramanta é resultado de fraternidade em rede, muitos e muitos anos antes da criação da internet. O primeiro terreno, provisório em 1978, foi doação de um irmão da Sede Geral da UDV (então ainda em Porto Velho – RO), Marcos Castelo Branco. Ficava em Pedra de Guaratiba, Zona Oeste da cidade.

Clique aqui e acesse a Galeria de Imagens do Núcleo Pupuramanta.

Na sequência, mestre Mário Piacentini, do Núcleo Samaúma (Araçariguama – SP), doou aos caianinhos cariocas um barraco branco de madeira de 30 m² (primeiro templo da União do Vegetal no Rio de Janeiro) que já havia sido o templo provisório do Núcleo Samaúma. Chegou desmontado, de caminhão: as paredes, premonitoriamente, eram compostas apenas de portas, unidas umas às outras, das quais três ficavam em uso.

Núcleo

No dia 13 de outubro de 1979 o conselheiro Henrique recebeu sua estrela de Mestre, bordada em camisa azul. E a distribuição, a partir desta data, tornou-se Pré Núcleo. No dia 5 de abril de 1981, a Sede Geral reuniu toda a Diretoria em Assembleia Geral Extraordinária. Presidida pelo mestre José Carlos Garcia, a Direção do Centro formalizou o Pré Núcleo do Rio de Janeiro como Núcleo Pupuramanta.

No segundo domingo de maio de 1983, teve início a construção do projeto do templo definitivo, todo em granito bruto, retirado das rochas do próprio terreno, que teve mantidos os desníveis de encosta. O Mestre Representante à época, Paulo da Maia, convidou para fazer o projeto arquitetônico o irmão Zadyr Paranaíba. A pedra fundamental dos alicerces do belo templo, no coração do Maciço da Pedra Branca, foi colocada no dia 1 de junho daquele mesmo ano. A sessão de inauguração aconteceu no dia 22 de julho de 1984.

Na História do Centro

O Núcleo Pupuramanta registra momentos importantes da institucionalização do Centro. Foi lá o Preparo com a presença de integrantes do Confen (Conselho Federal de Entorpecentes), em 9 de setembro de 1986, durante o processo oficial de estudos para liberação do uso ritual do Chá Hoasca no país.

A irmandade do núcleo liderou a organização executiva do 1º Congresso Internacional de Estudos da Hoasca, em novembro de 1995, quando se apresentaram os resultados da importante pesquisa Farmacologia Humana da Hoasca, que confirmou cientificamente as palavras de Mestre Gabriel, de que o chá é inofensivo à saúde.

No Núcleo Pupuramanta o Mestre Raimundo Monteiro de Souza (por quatro vezes Mestre Geral Representante da União do Vegetal) teve sua única experiência como mestre representante, ocasião em que fundou a Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico, inspirado na ligação entre ecologia e espiritualidade, antevendo uma consciência planetária que vem se confirmando.

Coroando as constantes ações de beneficência desenvolvidas desde a fundação do Núcleo, no dia 6 de janeiro de 2011 foi publicada em Diário Oficial a concessão do Título de Utilidade Pública Estadual da Casa Assistencial Coração de Maria, ampliando junto aos demais núcleos da região as condições de realização do trabalho beneficente no Rio de Janeiro.

Hoje com 32 anos, e uma irmandade que congrega cerca de 150 pessoas, entre sócios e seus filhos, o Núcleo Pupuramanta mantem uma intensa participação com os projetos da Sede Geral, e ligação afetiva com sócios dos núcleos de sua descendência.

*Integrante do Corpo do Conselho do Núcleo Pupuramanta (Rio de Janeiro – RJ)

Pesquisa das fotos históricas: Márcio Janot, monitor do Departamento de Memória e Documentação e membro do Corpo do Conselho do Núcleo Pupuramanta.

12 respostas
  1. Cleverson Eduardo de Almeida
    Cleverson Eduardo de Almeida says:

    Vem do Núcleo Pupuramanta, o então M.Candido, trouxe para o sul, Cidade de Joaçaba/SC, e se criou um dos primeiros Núcleos do sul do Brasil. Gratidão a todos os Sr.s.

    Responder
  2. Regina Richau Frazão
    Regina Richau Frazão says:

    Quantas recordações de Pedra de Guaratiba evocadas por este relato… o local era bem longe na época, o acesso não era fácil, mas quando lá chegávamos, encontrávamos um oásis… Recebi meu 1º copo do chá Hoasca pelo M. Henrique Boechat de Lacerda ali mesmo, e hoje, após conhecer diversos outros núcleos da União do Vegetal, encontro-me sócia, junto com minha família, em um dos núcleos “filhos” desta grande mãe Pupuramanta… que beleza !
    Desejo que esta Sagrada União continue nesse trabalho de expansão, trazendo a Paz ao mundo !!

    Responder
    • wagner c. fernandes
      wagner c. fernandes says:

      Olá futura amiga e irmã Regina Richau Frazão, assisti na history chanel, sobre o Chá e estou procurando endereço aqui no Rio de Janeiro; desejo conhecer melhor pois me identifiquei com algumas coisas e acredito que posso ser ajudado com essa tecnica.
      ja agradeço por pelo end. aqui no Rio.
      que a Paz esteja com todos !

      RESPOSTA: Wagner, envie um e-mail para contato@udv.org.br.

      Responder
  3. Angela Soares
    Angela Soares says:

    Tenho um carinho especial por esse núcleo, lá venho fazendo algumas amizades.
    Sou grata a Deus por ter esse lugar U D V na minha vida

    Responder
  4. Afonso Frazão Barbosa Júnior
    Afonso Frazão Barbosa Júnior says:

    Este lugar de boas recordações, aonde vivencie minha infância, tenho um sentimento de fraternidade e amizade , guardo no meu coração meus tempos de menino, desejo Luz, Paz e Amor a toda Irmandade deste Núcleo. Abs

    Responder
  5. Alexandre Palma
    Alexandre Palma says:

    Quando leio essa reportagem, fico pensando que quando em 1976 o Conselheiro Henrique trouxe o vegetal para o Rio de Janeiro autorizado pelo nosso Saudoso M. florêncio dali em adiante, o caminho foi preparado pra chegada de tantos pessoas a essa Sagrada União que, com muito suor e dedicação, prepararam o caminho pra outras pessoas. Eu também tive a oportunidade de chegar na União do Vegetal em outro núcleo irmãos que iniciaram vindo do Pupuramanta.

    Grato aos primeiros irmãos do Pupuramanta e aos irmãos do Núcleo Janaína que vieram do nosso Núcleo Mãe e todos aqueles que até hoje vem trabalhando pra o crescimento dessa sagrada obra.

    Grande abraço a todos e um feliz Natal e que nosso grande Mestre venha nos guarnecendo hoje e sempre

    Responder
  6. Sandra Palma
    Sandra Palma says:

    Parabéns bela reportagem sobre a minha ou nossa UNIÃO DO VEGETAL, cheguei a chorar vendo as fotos, imagens para levar para a eternidade.

    SANDRA PALMA

    Responder
  7. Arliss Pastorello Freire
    Arliss Pastorello Freire says:

    Eu quando criança bebi o Vegetal pela primeira vez nesse terreno provisório de Pedra de Guaratiba, e depois vi o N. Pupuramanta sendo construído. Hoje guardo no coração meus tempos de criança nesse Núcleo onde meu pai começou e me trouxe pra UDV.

    Luz Paz e Amor.

    Responder
  8. Marcio Cardenuto
    Marcio Cardenuto says:

    cada pequenino grão de areia tem lugar neste universo…. que maravilha essa história. quanta importância tem a cada tijolinho assentado e que o tempo se encarrega de mostrar. gratidão a todos é o que há no meu coração.

    Responder
  9. wagner c. fernandes
    wagner c. fernandes says:

    Por favor gostaria de conhecer o Nucleo do Rio de Janeiro / em Pedra de Guaratiba.
    Endereço e dias das reuniões obrigado.
    Acredito que posso ser ajudado com essa tecnica do chá.

    RESPOSTA: Wagner, envie um e-mail para contato@udv.org.br

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *