A música como instrumento do Mestre Gabriel

Foto: Francisco Herculano de Oliveira (Porto Velho-RO).

Nesta segunda publicação em homenagem aos 95 anos de nascimento do Mestre Gabriel, vamos falar de música e destacar três composições importantes para aqueles que querem conhecer mais a respeito da União do Vegetal e do Mestre Gabriel. O texto é de autoria da jornalista Juliane Oliveira*.

O Olhar do Mestre Gabriel registrado em fotografias e em suas palavras ainda hoje repetidas por aqueles primeiros irmãos que estiveram ao seu lado no início desta Obra Sagrada ecoam nos salões do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. Na fotografia do Mestre Gabriel que ilumina os Templos da UDV, dois elementos chamam a atenção: uma vitrola e alguns discos de vinil. Ao lado esquerdo do Mestre, eles estão ali não apenas como adornos, estão ali para servir ao Mestre Gabriel naquilo que é cabível: serem instrumentos para trazer a música para o Salão do Vegetal e assim, complementar ou trazer um assunto conforme a necessidade do momento.

A vitrola e os discos de vinil escolhidos com propriedade, permitiam ao Mestre Gabriel fazer seu trabalho, conforme depoimento do Mestre José Luiz de Oliveira, membro do Conselho da Recordação dos Ensinos do Mestre Gabriel e Mestre Representante na Sede Geral:

“As vezes ele [Mestre Gabriel] falava num determinado assunto e complementava com música dentro do mesmo assunto ou ele colocava uma música pra puxar o assunto e doutrinava dentro daquele assunto. A música era usada pelo Mestre Gabriel assim, como ferramenta de trabalho”.

Adotada desde o tempo do Mestre Gabriel, a música é utilizada ainda hoje nos Salões do Vegetal e nos possibilita conhecer um pouco mais deste homem simples, porém de grande sabedoria que viveu o Dilema da Vida e por ela nos ensinou e ainda ensina. Filho de Coração de Maria (Feira de Santana-BA), recebeu desde muito cedo a influência da boa música de raiz do século passado e através dela trouxe para dentro de sua casa, Uma Casa de Caboclo, a alegria, a esperança e a força motivadora na construção de um mundo melhor. Um dia se despediu, mas antes, fez um Agradecimento, nos ensinando mais uma vez:

“Tudo que eu faço, tudo que eu falo e tudo que eu canto é ensinando”{ Mestre Gabriel}.

Dilema da Vida

A música Dilema da Vida é parte do repertório da União do Vegetal. Através dela, José Gabriel da Costa, o Mestre Gabriel, apresenta-se para a irmandade da União do Vegetal e para quem mais quiser conhecê-lo. Usada com frequência quando ele estava presente nas sessões em Porto Velho-RO, a música mostra as dificuldades de quem se dispõe a “vencer o mal” praticando o bem.

Assim vou lutando com dificuldade

Seguindo meu lema sem retroceder

Para ser mais claro falando a verdade

Com honestidade é duro vencer.

Mesmo cruzando dificuldades – muitas delas conhecidas no mundo hoasqueiro, Mestre Gabriel trabalhou sempre pela Paz e pela Fraternidade Humana. Não desistiu e sempre demostrou sua convicção na Justiça Divina. Em sua Obra Sagrada está clara a sua crença em um Poder Superior. Assim, na música Dilema da Vida, que ele tanto usou para ensinar seus discípulos a também serem pessoas de valor – como ele era e é, Mestre Gabriel mais uma vez faz demonstração de sua convicção:

Porém de uma coisa eu tenho certeza

Alguém algum dia vai reconhecer

Que não uso arma em minha defesa

E quem tem nobreza vai me defender

Não tenho ganância, não quero riqueza;

Desejo apenas cumprir meu dever

E aquele que rege toda natureza

Mandará o prêmio que eu merecer.

Surpreende-nos como Nonô e Naná conseguiram expressar através da música Dilema da Vida os mesmos dilemas vividos por Mestre Gabriel. Como ele mesmo disse “quem quiser me conhecer um pouco mais, escute esta música”.

Uma Casa de Caboclo

Quem hoje adentra os Salões da União do Vegetal encontra um lar, uma casa de muitos amigos. De diversos formatos, tamanhos e cores, cada Núcleo de hoje é fruto de Uma Casa de Caboclo – a casa de “seu Gabriel e dona Pequenina”. Nesta casa, como contou Mestre Florêncio encontrava-se abrigo e o amorosidade da gente simples que ali construía um lar para os filhos e uma escola espiritual para os muitos discípulos que já começavam a chegar:

“Nós chegamos à casa do Mestre Gabriel, uma casa no chão batido, coberta de palha e tábuas, o banheiro era lá em cima, no quintal. Era uma casa de caboclo mesmo. Simples, bem simples a casa do Mestre Gabriel, mas foi lá que ele nos acolheu. Eu fui um dos que nessa casa de caboclo e lá não faltava um café, boas conversas, uma rede atada para deitar. Tanto ele quanto a Mestre Pequenina nos tratavam bem” ( Trecho retirado do Livro Relicário – Imagens do Sertão, de autoria do Jornalista Edson Lodi).

Segundo depoimentos, Mestre Gabriel colocou a música Uma Casa de Caboclo uma vez para Mestre Sidon (in memoriam) quando este ficou observando a simplicidade e os poucos recursos que Mestre Gabriel dispunha. E mais uma vez, Mestre Gabriel demonstra sua sabedoria e também nos convida a conhecer o “seu céu aqui na terra” – o que em versos nos lembra os Núcleos da União de Vegetal hoje tão alegres com a presença de crianças e jovens que frequentam esta mesma casa de caboclo acompanhada de seus pais. E nós, crianças sedentas de conhecer a espiritualidade que o Chá Hoasca e os ensinos do Mestre Gabriel têm para nos proporcionar:

Casinha simples encostada ao pé da serra

Se é amigo não repara onde eu moro

Vá ver de perto o meu céu aqui na terra

E conhecer as criancinhas que eu adoro

Agradecimento

Como quem prenuncia um ‘adeus’, Mestre Gabriel trouxe de sua viagem de Fortaleza –CE um LP com a música Agradecimento (Severino Ramos e Jacy Santos), do Trio Nordestino. A música, conforme entrevista do Mestre José Luiz, foi escrita na época porque um dos componentes do Trio Nordestino havia adoecido e eles escreveram a música como forma de agradecimento. Segundo Mestre José Luiz, o Mestre Gabriel dizia assim: “Eles [Trio Nordestino] foram um instrumento para eu [Mestre Gabriel] agradecer através dessa música o benefício que eu recebi no Hospital de Messejana (CE). A dedicação que os médicos tiveram comigo e a recuperação da minha saúde. Eles pensam que fizeram pra eles, mas eles fizeram pra mim”.

Deus me deu

Quase tudo que eu queria

Até a felicidade de ser filho da Bahia

Há quanto tempo não vejo minha cidade

Vou matar minha saudade

Tá quase chegando o dia

A música Agradecimento foi tocada pela primeira vez na União do Vegetal em Porto Velho no dia 27 de março de 1971, quando Mestre Gabriel retorna à Porto Velho depois de um longo período de tratamento em Fortaleza-CE, acompanhado do então conselheiro Adamir. Nesta viagem, Mestre Gabriel vai até à Bahia e reencontra familiares. Seu retorno à Porto Velho marca um novo tempo para a União do Vegetal. Assim como na música, Mestre Gabriel já demonstrava que estava “chegando o dia” de sua partida e, como bom professor, usa da música para demonstrar sua humildade, ensinando mais uma vez aos seus discípulos o valor da gratidão e do reconhecimento à Deus:

“Mas agradeço tudo que Deus fez por mim

Aos homens da medicina

E ao Senhor do Bonfim”.

Assim como tudo que o Mestre Gabriel faz é ensinando, ele também usou a música como uma ferramenta de trabalho para ensinar à nós, seus discípulos, como ser um obreiro desta Sagrada Obra que é a União do Vegetal – o tesouro do Mestre Gabriel.

Vídeo

Apresentamos no vídeo abaixo essas três importantes músicas que compõem a história do Mestre Gabriel e da União do Vegetal. Para a produção do vídeo, a equipe do Blog da UDV ouviu o Mestre José Luiz de Oliveira, membro do Conselho da Recordação dos Ensinos do Mestre Gabriel:

*Juliane Oliveira é integrante do Corpo Instrutivo da Sede Geral (Brasília-DF) | O texto foi construído a partir de entrevista realizada com o Mestre José Luiz de Oliveira (membro do Conselho da Recordação dos Ensinos do Mestre Gabriel e Mestre Representante na Sede Geral), e de informações do livro Relicário – Imagens do Sertão, de autoria do Jornalista Edson Lodi e Mestre Assistente Geral do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal.

Publicado em 8 de fevereiro de 2017.

30 respostas
    • Manuel
      Manuel says:

      Muito grato a o equipe!! Fue um placer comenzar o dia com esta leitura que vá ampliando a minha conciencia e a minha ligação com o Mestre Gabriel. Ache muito interesante para mim e para os venimos chegando.
      Um abraço fraterno desde Espanha, Madrid, Núcleo Inmaculada Concepción. Manuel Millán CI

      Responder
  1. Diana Fernandes
    Diana Fernandes says:

    Um bálsamo para nós caianinhos que moramos no estado do ES as mensagens do blog essa semana… trazendo a lembrança do nosso guia, que com sua família passou por tantas dificuldades… seguindo seu lema sem retroceder. Dias melhores virão, com o olhar do Mestre.

    Responder
  2. Cleber Almeida
    Cleber Almeida says:

    Emocionante, tocante e gratificante de ler. Parabéns pela matéria… Sinto prazer e alegria por ter a oportunidade de desfrutar desta Sagrada União… Gratidão em especial ao Mestre Gabriel pelo seu amor e a sua sabedoria em usar tão bem a música como ferramenta de trabalho…

    Responder
  3. Tatiana Moura
    Tatiana Moura says:

    Agradeço pelo belo texto, que trouxe com clareza, a simplicidade e a bondade que o Mestre teve em nos ensinar através dessas músicas e de suas palavras. Continuando ate hoje a tocar em nossos corações.Viva o Mestre Gabriel!!!

    Responder
  4. Jefferson Quintão zinneckr
    Jefferson Quintão zinneckr says:

    Que belas canções, sempre me emociono quando escuto, traz ensinamentos muito finos, de forma alegre e atual. Minha gratidão ao nosso grande mestre Gabriel, por tudo fez e vem fazendo pela paz de um jeito simples e caboclo..

    Responder
  5. Ítalo De Maria Luis da Silva
    Ítalo De Maria Luis da Silva says:

    Uma belíssima homenagem, Parabéns aos organisadores deste trabalho, nós do Núcleo Príncipe Teceu – DF só temos a agradecer pelo reconhecimento à obra do Mestre…
    Luz, Paz e Amor!!!

    Responder
  6. Jean Bonazoni
    Jean Bonazoni says:

    Ótimo texto, Juliane!
    Parabéns pela sensibilidade em traduzir a história do fundador de nossa UDV em palavras tão singelas e mesclando versos de músicas tão essenciais na nossa cultura.

    Responder
  7. Cássio D'Lima
    Cássio D'Lima says:

    “Em 1969, Lindú sofreu um acidente de carro que requeria mais de um ano de tratamento. Mesmo assim, a nova gravadora resolveu dar continuidade ao trabalho, levando o sanfoneiro de ambulância para os estúdios de gravação. Em 1970 saiu o disco com a música “Procurando tu”, de Antônio Barros, que se transformou no maior sucesso do Trio Nordestino, alavancando mais de 1 milhão de cópias vendidas e levando-os das paradas sertanejas para as rádios dos mais diversos segmentos em todo o país. O sucesso nacional levou o Trio a permanecer no primeiro lugar do programa Sílvio Santos, na TV, durante 90 dias e a receber da CBS o troféu Chico Viola pelo segundo lugar na vendagem de discos de 1970. O primeiro lugar foi de Roberto Carlos.”

    Responder
  8. Aline Chaves
    Aline Chaves says:

    Parabéns à equipe do blog pelos textos! Nesta semana em que nos preparamos para o dia 10 de fevereiro, conhecer um pouco mais da história do nosso guia nos permite reconhecer, pouco a pouco, o valor deste caboclo pra todos os seus caianinhos e assim confiar mais neste homem que tanto ensinou e ensina.

    Responder
  9. Adilson Barbosa de Oliveira
    Adilson Barbosa de Oliveira says:

    A Grandeza dos ensinamentos de nosso Mestre Gabriel nos mostra a realidade da vida, e graças aos Mestres da Origem podemos seguir o caminho de luz criado por ele.

    Responder
  10. Miguel Almeida
    Miguel Almeida says:

    Bonito trabalho feito pela equipe do Blog, boa pesquisa, trazendo esclarecimentos sobre o motivo da utilização das músicas na UDV, como o Mestre fazia. Belo texto, Juliane.

    Responder
  11. Flávia Ilíada
    Flávia Ilíada says:

    Parabéns, maninha! Boa pesquisa e registro. Esse estudo das músicas da época do Mestre é algo que eu, particularmente, venho me interessando – e até sentindo certa saudade de ouvir mais no Salão do Vegetal… Boa essa lembrança que nos leva às origens recentes dessa Sagrada Obra.

    Responder
  12. Mirza Lago Bezerra
    Mirza Lago Bezerra says:

    Gratidão!!!
    Que maravilhosa é a arte das palavras.Texto maravilhoso e emocionante!!
    E realmente é a gratidão mesmo que expressa o sentimento em ter esse nosso Grande Mestre a nos guiar… É de se sentir alegria pela bondade de Deus.

    Responder
  13. Kelly Mamede Junqueira Silva
    Kelly Mamede Junqueira Silva says:

    Que alegria ver um trabalho tão importante e bonito ser apresentado com tanto carinho! Sou sempre grata pelo trabalho de responsabilidade de vocês!

    Responder
  14. Guida
    Guida says:

    Tem talento para escrever a irmã Juliane Oliveira! Parabéns!!! Um texto bem estruturado que emociona ao ir se aprofundando nas mensagens que nosso Grande Mestre nos deixou através da música. Um presente poder falar, ler, escutar e sentir a grandeza do Mestre Gabriel! Que alegria eu sinto!

    Responder
  15. Ibsen Gouvea Bruno
    Ibsen Gouvea Bruno says:

    Muito emocionante! Não pude conter as lágrimas com tão emocionante relato do M. José Luiz ao som dessas músicas que marcaram minha infância e juventude na UDV.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *