Mestre Florêncio: sorriso travesso, olhar de menino

Edison Saraiva Neves*

| 14 abril 2018

Mestre Florêncio, em 1993 – Campinas (SP) | Foto: Luiz Trazzi (DMC/Núcleo Convite aos Encantos)

Florêncio Siqueira de Carvalho (que hoje inteiraria 86 anos de idade) misturava no nome e na vida singular muitas flores, um Si em muitos e um querer de arvore frondosa, amparo de numerosos amigos. Misteriosamente, tinha um tanto disso tudo aquele amigo meu e de tantos. Comecei a conhecê-lo em 1974, dezembro, Sede Geral, Porto Velho, Rondônia. Não o tinha reparado no barracão de madeira onde hoje está a Casa de Preparo do Núcleo Mestre Gabriel. Também quase não conseguia sustentar a cabeça. Burracheira em ondas e um eu, o meu, à deriva.

Foi aí que ouvi pela primeira vez o Sabiá cantar. Era a chamada da Barquinha que me colheu e deslocou-me para um bem além dali. Era o Mestre Florêncio chamando e eu seguindo. Desse primeiro seguiram-se muitos encontros.

Era encontrá-lo e conversávamos até o nascer do dia. Fonte de anedotas, de causos, de ditos, era a espontaneidade que se fez carne e habitou entre nós. Homem de vida rica, superou as maiores dificuldades que um ser humano pode enfrentar. Foi escravo em seringal. Viveu com índios, enfrentou onça, morou só ele e Deus por meses em um tapiri no meio da mata.

Tuxaua sem limite para o corte, caboclo com espírito de cientista, Carvalho, como lhe chamava Sueli, a cabocla amada, viveu muitas vidas em uma. Quando foi, com 80 anos, deixou conosco a risada expressiva, o sorriso travesso, o olhar de menino, muita saudade e o exemplo de um bondoso Coração. Florêncio conduzia no peito o Sertão.

Até um dia, Sabiá!


*Edison Saraiva Neves é Mestre Assistente Geral do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. 

Mestre Edison Saraiva Neves dedica a Mestre Florêncio a música Incelença para um Poeta Morto, interpretada por Elomar Figueira Mello. Clique aqui para acessá-la.

6 respostas
  1. Leonardo Pauperio
    Leonardo Pauperio says:

    Bonita homanagem! A história de vida do Mestre Florêncio é inspiradora. Que o seu trabalho pela União do Vegetal e o seu legado sejam sempre lembrados.

    Responder
  2. Odilia Portugal
    Odilia Portugal says:

    Mestre Florêncio pra mim é inesquecível. Foi a primeira pessoa da UDV de quem ouvi falar; “é uma pessoa linda, de coração e sabedoria”.
    Ele era o Mestre Representante do Núcleo Caupuri, quando cheguei em Manaus, em 1976 e abriu as portas da UDV me autorizando a beber o Vegetal pela primeira vez.
    Muitas idas a Manaus, preparos no Lago do Arara, tantas sessões, tantos ensinos, me auxiliaram e me encantaram.
    Hoje temos os Núcleos na quinta região, graças aos primeiros litros de Vegetal que ele deu ao M. Henrique Boechat para trazer para o Rio de Janeiro.
    Inesquecível e insubstituível.

    Odilia Portugal
    Corpo do Conselho – Núcleo Agulha de Marear
    RJ

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *