Mário Piacentini, um Mestre Centenário

 Rodrigo Polignano*

Mestre Mário Piacentini – um homem com uma estrela no peito | Foto: Sergio Polignano

Nessa data querida, 4 de abril de 2016, comemoramos o aniversário de 100 anos de nascimento de um homem que dedicou sua vida à Deus, à família e à União do Vegetal. Felizmente, em diversos momentos e com algumas atitudes, pudemos demonstrar em vida nosso amor e gratidão ao Mestre Mário Piacentini. Hoje, sentimos que ele continua vivo e presente em nossa história. Por isso, para nós, é motivo de honra e alegria rememorar seu nome e seu trabalho em prol da existência do Núcleo Samaúma (Araçariguama -SP).

Mestre Mário sempre dedicou atenção aos jovens e eu, como um deles, sempre me senti considerado por ele, pois vinha com frequência conversar comigo e saber como tinha sido a Sessão de Vegetal, se eu tinha visto alguma coisa. Gostava muito de conversar com ele, de ouvir a respeito das vivências que ele tinha na Burracheira, e Mestre Mário demonstrava o mesmo respeito ao ouvir as minhas pequenas (grandes, na minha percepção da época) descobertas.

Toda vez que eu ia receber o Vegetal de suas mãos, ele colocava pouca quantidade, adequada a minha pouca idade, e eu sempre queria mais…e por vezes insistia. Ele então dava aqueles tapinhas carinhosos (mas com a mão grande dele) no meu rosto e dizia: “por hoje tá bão!”

Alguns anos mais tarde, quando recebi a camisa com a Estrela de Mestre pela União do Vegetal, ele me deu um longo e apertado abraço e me falou: “Agora você tá na vitrine! Procura aprender a ser um instrumento do Mestre Gabriel, Viu?!! Seja feliz!”

Mestre Mário gostava de expressar uma longa doutrina quando alguém recebia a camisa com a Estrela. Ele doutrinava falando à todos os mestres que devemos lembrar que somos pequenos, que estamos todos no lugar de aprendiz, no lugar de espelho e que somos responsáveis pelo equilíbrio da União.

Núcleo Samaúma

Mestre Mário chegou na UDV no dia 10 de setembro de 1972, data de fundação do Núcleo Samaúma e pôde vivenciar a experiência de estar sob a luz do Sol dentro do Alto Tempo. Esse mistério de ver e estar ao Sol, às 22h00, fez com que ele ficasse na União do Vegetal, determinado a conhecer e seguir o Mestre Gabriel. Ele vinha de uma longa caminhada dentro da Igreja Metodista e demonstrou um alto nível de espiritualidade ao se permitir não ficar preso a dogmas e proibições, lançando-se ao alto mar da Burracheira para conhecer/reconhecer o Mestre Gabriel.

Todos nós que pudemos conviver com Mestre Mário temos saudades das narrativas dele a respeito das vivências e conversas que tinha com o Mestre. Em algumas dessas pudemos reconhecer verdadeiros ensinamentos que ele transmitia com firmeza, demonstrando muito amor ao Mestre.

Uma delas, que me vem agora à lembrança, aconteceu em uma ocasião em que Mestre Mário bebeu o Vegetal sozinho, dentro do seu carro, em um local de floresta, perto de onde é hoje em dia o Núcleo Rainha das Águas ( Poçinhos do Rio Verde-MG). Ele contou que estava chorando muito, perguntando para o Mestre Gabriel porque não tinha estado com Ele em matéria, porque tinha condições financeiras e poderia ter auxiliado a construir um Templo, poderia ter auxiliado na implantação da União e estava naquele momento sofrendo muito por não ter merecido estar lá, com o Mestre.

Então o Mestre Gabriel se apresentou com uma Luz muito intensa, mas ao mesmo tempo muito confortável, e disse: “Não fique assim, não chore! Eu precisava de você aí onde você está, para trabalhar pela expansão da União do Vegetal no sul do País!”

Construção moral

Assim, me sinto privilegiado por ter conhecido Mestre Mário, que na minha concepção é também um discípulo do Mestre Gabriel que pôde participar e auxiliar na expansão e construção da União do Vegetal aqui na 3ª Região, além de contribuir para a construção moral de tantos de nós dessa irmandade, que muito pudemos aprender com ele.

Sinto saudades de mestre Mário, de sua jovialidade e tenacidade. Tenho nele um exemplo de liderança. Ele nos ensinou a ter carinho com cada irmão e especialmente com quem está chegando e a ter firmeza para transmitir a Sã Doutrina. Ele demonstrava um bom humor contagiante, mesmo tendo sofrido perdas e enfrentado situações difíceis, sempre procurou ver o lado bom das coisas e apreciar o valor da vida.

Dedico também essas palavras de carinho e reconhecimento à conselheira Regina Piacentini. Desejo que possa receber as muitas flores que ela e mestre Mário plantaram juntos, pois sempre foram também um bom exemplo de casal e de pais responsáveis e carinhosos.

*Mestre Representante do Núcleo Samaúma (Araçariguama -SP)

23 respostas
  1. Márcio Luiz Da Rós
    Márcio Luiz Da Rós says:

    Um irmão querido, que tive, sempre jovem em meu coração!
    Uma prática de vida com dedicação, construção, reconhecimento e gratidão. Minha homenagem à sua memória!
    Ele tinha o carisma de um mestre que chega ao coração dos discípulos falando da bondade de Deus, praticando os ensinamentos que recebia pela Luz do Vegetal. Um amigo querido que me cativou desde os primeiros momentos de convivência.

    Responder
  2. Isabela Abes Casaca
    Isabela Abes Casaca says:

    Um belo texto!
    Bom lembrar do Mário Piacentini, tive o prazer de conhecê-lo quando jovem, as palavras espelham bem o jeito de ser dele!

    “Ainda é tempo de plantar flores”

    Responder
  3. Silo Zeno Simões
    Silo Zeno Simões says:

    Uma vivência e muito interessante do Mestre Mário Piacentini. É importante conhecermos essas experiências vindas do Sudeste do País.

    Responder
  4. Igor Weyne
    Igor Weyne says:

    Muito ouvi falar do M. Mário e no dia em que o conheci pessoalmente dirigindo uma sessão de escala no Núcleo Fortaleza no Ceará foi uma grande alegria! Quando residi em São Paulo e frequentei o nucleo Samauma por algum tempo pude perceber a sua herança e os seu valores difundidos fortemente na conduta e nos valores da irmandade de lá. Pude participar de uma bonita homengem à pessoa dele, momentos que terei sempre em minha memória. Que a memória e a presença do homem que construiu um templo redondo no sul do país, confirmando a palavra do nosso Divino Mestre possa estar sempre viva!

    Responder
  5. Ilana
    Ilana says:

    Bom saber das histórias de pessoas especiais na União. Legal o texto, feliz em ler.
    Desejo alegrias tb ao nosso amigo m. José de Anchieta ( membro do Conage) que dia 04/04 também faz aniversário e é um mestre dedicado a União do Vegetal, pesssoa que nos direciona e fortalece com palavras de amor. Saúde e vida longa!!!

    Responder
  6. Sílvio Leossi
    Sílvio Leossi says:

    Essa mensagem do Mestre Rodrigo me emocionou aqui em Poços de Caldas e me fez lembrar que quando cheguei na União do Vegetal tive a felicidade de conhecer, mesmo que por pouco tempo, este senhor tão atencioso que foi o Mestre Mário e que deixou um legado de amor e fraternidade.
    Hoje, nas sessões aqui no Núcleo Rainha das Águas, em Pocinhos do Rio Verde, é comum ouvir irmãos e irmãs dizerem como ele sabia “imprimir” o Mestre Gabriel no coração das pessoas.
    Não cheguei a ter esse privilégio com ele, mas venho conseguindo perceber essa “impressão” com os que conviveram com o Mestre Mário.
    Sou grato à ele e ao Mestre Eurico por terem fundado e construído o Núcleo Rainha das Águas aqui no sul de Minas Gerais, um lugar muito bonito, cercado de natureza, rios e cachoeiras.
    Quem conhece, reconhece o Mestre Mário.

    Responder
  7. Marly Scarinci
    Marly Scarinci says:

    Mestre Mario era sempre presente no início do núcleo São Cosmo E São Damião com seu sorriso e olhar carinhoso, lembro de uma sessão que após as chamadas de abertura, fez a oração do Pai Nosso. Uma sessão dirigida por ele trazia bons ensinamentos do Mestre e a burracheira crescia. Ele está presente em meu coração. Envio um grande abraço à conselheira Regina, companheira carinhosa e atenciosa!

    Responder
  8. Jamal Abdallah
    Jamal Abdallah says:

    Quanto merecimento poder conversar com o Mestre Gabriel e receber explicações e orientações. Um momento especial de Luz, Paz e Amor apresentados pelo Mestre Gabriel.

    Responder
  9. Márcio Fontes
    Márcio Fontes says:

    Tive a honra de conhece-lo e ainda hoje convivo com pessoas que conviveram com ele.Quero ter forças pra poder trabalhar pela obra da UDV com a mesma disposição e amor .

    Responder
  10. Maria de Fáitma de Oliveira
    Maria de Fáitma de Oliveira says:

    Me emociona conhecer um pouquinho da história desse mestre que tanto contribuiu com a União do Vegetal . Gratidão.

    Responder
  11. REGINA R F BARBOSA
    REGINA R F BARBOSA says:

    Que felicidade poder ler estas palavras tão cheias de reconhecimento, vindas do mestre Rodrigo, Mestre Representante do Núcleo Samaúma! Tenho também belas lembrancas desse senhor, ao mesmo tempo firme e carinhoso, que soube me cativar, a mim e tantas outras pessoas, sempre com boas doutrinas e um sorriso vindo do coração. …pessoa muito querida a mim e à minha família, junto com sua companheira Regina, baluartes de UDV , de fundamental importância na expansão da nossa sagrada Ordem. GRATIDÃO,mestre Mário por todo amor que pude receber do senhor em diversos momentos da minha vida! Grata por me ter transmitido tantos ensinamentos do Mestre Gabriel !

    Responder
  12. Maria Sheridan Soared Bastos
    Maria Sheridan Soared Bastos says:

    Ao ler o texto do Mestre do Representante percebe-se o valor do Mestre homenageado in- memória. Bom fazer parte da União.

    Responder
  13. Jose Dias de Mendonça
    Jose Dias de Mendonça says:

    Quando cheguei da UDV, 1981, pra beber o vegetal pela primeira vez, em um salão no sítio do mestre Mário Piacentini, ainda não existia o Núcleo Samaúma. Quando cheguei e entrei no salão, ele me olhou e abriu um sorriso bem especial, apertou minha mão e sorrindo me disse: ” muito bom rapaz, olha você aqui novamente! Mais uma vez nos encontramos”. Eu não entendi nada. Perguntei meio desconfiado, o sr. me conhece? Ele disse “Há muito tempo. Mais tarde a gente conversa”. Assim conheci um dos meus grandes amigos nessa minha caminhada. Aprendi com ele valores essenciais que um ser humano precisa ter, entre o mais sublime, estar pronto a todo instante pra auxiliar ao próximo, e, eu vi ele fazer isso por diversas e diversas vezes. Acredito que ele esteja em bom lugar, junto ao nosso Mestre Gabriel. Sinto saudades do velhinho e também de sua família.

    Responder
  14. Carlos dos Santos Dantas
    Carlos dos Santos Dantas says:

    A riqueza dos nossos corações está no reconhecimento. Quando cheguei em São Paulo, o Núcleo Samaúma estava no começo de suas atividades. Conheci o mestre Mario e o seu filho Marinho, nesta época que tinha como representante o Mestre Paixão – tempo bom e cheio de descobertas do nosso viver. Interessante é que já participo da União do Vegetal há mais de 40 anos…

    Responder
  15. Rosélia Oliveira
    Rosélia Oliveira says:

    Belo texto. Admirável Mestre Mário Piacentini. Viva os bons ensinamentos que ele deixou no coração de muitos discípulos e amigos.

    Responder
  16. Miguel Salum
    Miguel Salum says:

    Mestre Mario
    Guardo sua lembrança viva em meu coração e seu Amor e Dedicação pela obra do Mestre com exemplo pra minha caminhada. Siga com Luz, Paz e Amor sua jornada. À c. Regina nosso carinho.
    Fatima e Miguel Salum (UDV Northeast USA).
    Nucleo Jardim Florescendo

    Responder
  17. Rafael Dias
    Rafael Dias says:

    Conheci o mestre Mário. Ele realmente foi uma pessoa amável com todos. Ele tinha um semblante de calmaria, sempre trazia boas palavras as pessoas. Gostava de contar suas experiências aos jovens e sempre prestava atenção às nossas vivências com respeito. Ele deixou saudades e boas lembranças nas pessoas que o conheceram. Ele ainda vive em cada pessoa que pratica o que aprendeu com ele.

    Responder
  18. Erder Bispo
    Erder Bispo says:

    Cheguei na União já casado e com uma filha nos primeiros meses de vida… já não era tão jovem, mas o Mestre Mário me tratava como se eu fosse… Porém, em cada uma de nossas muitas conversas me sentia uma criança à espera de doçuras que ele sempre me oferecia… Não demorou muito para que no coração o adotasse como pai. Em contrapartida, vez por outra ele me chamava de “meu filho preto” ou “meu filho padre”…
    Mestre Mário me disse certa vez: – “A evolução espiritual faz a gente compreender que a vida não é para sempre porque a vida é para sempre. Isso é Sabedoria de Salomão, Sabedoria do Mestre Gabriel”.
    Minha admiração por Mestre Mário se estende à conselheira Regina que, sempre à tira colo com ele, me tratava com a maior fineza. Que Mestre Gabriel continue abençoando-a.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *