Em São Paulo, o segundo núcleo da UDV

* João Marcelo Cassis Mathor

Lançamento da pedra fundamental do Núcleo Samaúma (1981) | Foto: Sérgio Polignano

Em 1972, o Centro Espírita Beneficente União do Vegetal tinha atividades em apenas dois locais: a Sede Geral, em Porto Velho (hoje Núcleo Mestre Gabriel); e o Núcleo de Manaus (hoje Núcleo Caupurí). Em maio daquele ano, Nielson Menão e a então sua esposa, Maria Ivone de Castro Menão, beberam Vegetal pela primeira vez em Manaus numa sessão de adventícios.

Clique aqui e acesse a Galeria de Imagens do Núcleo Samaúma.

Com mudança marcada no mês seguinte para São Paulo, o casal manifestou a disposição de continuar bebendo o Chá nessa cidade. Ao mesmo tempo, Nielson pediu autorização ao Mestre Florêncio, conhecido na época como Mestre Cruzeiro, para convidar um amigo seu de São Paulo, o ator Kito Junqueira, a beber o Vegetal em Manaus.

Mestre Cruzeiro autorizou e em 26 de junho de 1972, o casal, Kito e ainda mais três integrantes de um grupo teatral paulista beberam o Chá: Nilda Toniollo, Helena Villar e Jovelti Arcângelo. No dia seguinte, todos viajaram para São Paulo, levando um litro de Vegetal entregue por Mestre Cruzeiro à responsabilidade de Nielson, para beberem quando tivessem necessidade.

Quando chegaram, falaram do Chá ao amigo de nome Mário Ricardo Piacentini, conhecido como Marinho. Mas avisaram que se ele quisesse beber teria de ir até Porto Velho, pois não tinham autorização para dar o chá para outras pessoas.

Marinho e Nielson viajaram para Porto Velho e beberam o Vegetal no dia 22 de julho de 1972. Quando voltaram para São Paulo, trouxeram mais alguns litros de Vegetal e resolveram se organizar para começar a seguir aquela nova religião que conforme os que já participavam dela diziam, era para “acordar o espírito”.

Os primeiros que beberam o chá em São Paulo, além dos já citados, foram outros amigos que participaram do grupo de teatro, entre eles: Fábio, Arley, Joel, Joana, Castelo, Paulo, Cuja e Heloá. As primeiras sessões em São Paulo aconteceram nas casas dos participantes e eles costumavam ouvir música após beber o chá.

“Quanta Samaúma!”

Mestre Hilton Pereira Pinho (um dos dirigentes formados pelo Mestre Gabriel), veio a São Paulo e auxiliou na organização do grupo. Ensinou algumas chamadas e auxiliou a criar a diretoria e o registro do núcleo em cartório, que precisava de um nome. Quando o Mestre Hilton chegou a São Paulo, viu muitas paineiras (que são da mesma espécie da Samaúma da Floresta Amazônica). Ele andava pela cidade e dizia: “Este é um tipo de Samaúma, quanta Samaúma!”. E assim, na hora de escolherem um nome, escolheram Núcleo Samaúma.

O Mestre Geral Representante da UDV na época, Raimundo Monteiro de Souza, autorizou a abertura do Núcleo. No dia 10 de setembro de 1972, precisamente às 18 horas, o Núcleo Samaúma foi fundado, sendo Nielson Menão designado o seu primeiro Mestre Representante. Mais a frente, a Administração Geral, em Porto Velho, confirmou a autorização da criação do Núcleo Samaúma. Nielson não está mais na União do Vegetal e Ivone é conselheira no Núcleo Luz do Oriente (Brasília-DF).

Mário Piacentini

A partir de então passou-se a realizar sessões de escala regularmente na propriedade do discípulo Mário Arnaldo Piacentini (pai de Marinho) que veio a beber Vegetal pela primeira vez em janeiro de 1973. Depois chegou ao Quadro de Mestres. Ainda no lugar de conselheiro, Mário Piancentini ficou como responsável pela Distribuição do Vegetal para o grupo. Mestre Mário já desencarnou e é um dos responsáveis pela consolidação do Núcleo Samaúma.

Leia mais: Mário Piacentini, um Mestre Centenário

Mestres da região Norte eram convidados para vir a São Paulo e trazer ensinamentos e esclarecimentos sobre a doutrina da UDV. As visitas dos mestres foram bem importantes, pois eles traziam informações de como dirigir a UDV.

Mestre Paixão

Alguns desentendimentos gerados pelas diferenças culturais levaram a um período de suspensão das atividades do núcleo em 1976. Em 29 de julho de 1978, Mestre Raimundo Pereira da Paixão (outro dirigente formado por Mestre Gabriel) chegou a São Paulo com sua família e a incumbência de reorganizar o Núcleo Samaúma. Em primeiro de novembro de 1978, recebeu a autorização da reabertura oficial do núcleo.

Em alguns meses, o Mestre Paixão fez as pessoas sentirem o dever de construir um local próprio para beber o Vegetal. Disse que se fosse preciso suspenderia as sessões até que se tivesse um local próprio. Em setembro de 1979, o Mestre Mário Piacentini e Else Angélica Piacentini Medeiros doaram um terreno de 10 mil m2 em Araçariguama (SP) e ofereceram um outro local para se beber o chá, vizinho ao terreno, até então bebia-se o vegetal em Cotia-SP.

Templo

Iniciou-se então um grande esforço concentrado para angariar fundos e construir o templo em Araçariguama. Foram muitas feiras, festas, jantares e almoços beneficentes, além de outras atividades que produzissem algum lucro. Terminada a construção do templo, este foi inaugurado em fevereiro de 1982.

Assim, o Núcleo Samaúma iniciou sua expansão, com a construção de uma casa de preparo e demais dependências. Novos sócios foram chegando e, com seu crescimento, alguns núcleos foram desmembrados, iniciando um processo de expansão da União do Vegetal pelo sul do país. Hoje com 43 anos de história, o Núcleo Samaúma segue crescendo e sendo uma referência entre os núcleos da UDV.

*Integrante do Corpo Instrutivo do Núcleo Samaúma (Araçariguama-SP)

Pesquisa das fotos históricas: João Marcelo Cassis Mathor.

22 respostas
  1. Aguimar Boeri
    Aguimar Boeri says:

    Linda História desses grande templos! A bondade das pessoas, irmãos e irmãs , discípulos do Meste Gabriel não mediram esforços para construir a obra do Mestre e nossa. Aldir conhece esse Nucleo, eu ainda não conheço. Peço ao Mestre Gabriel mais sabedoria, compreensão, paciencia pra eu e todos nós. Que a UDV continue crescendo com mais qualidade.

    Responder
  2. Alzira Pereira
    Alzira Pereira says:

    Me sinto feliz por iniciar minha caminhada espiritual no Núcleo Samaúma e tbm por estar presente na costrução do templo. Muito bom recordar momentos de trabalho e tbm muita alegria. Cheguei em 1980 e hoje estou seguindo no Núcleo Rei Davi e assim venho caminhando nessa Obra do Mestre .

    Parabéns ao trabalho do snhrs do Núcleo Samaúma.

    Responder
  3. Érica Monteiro
    Érica Monteiro says:

    Que alegria sinto pela bondade de Deus por fazer parte desta história que faz parte da minha história de caminhada. Cheguei na União duas semanas depois que o Mestre Paixão chegou em SP. Ser testemunha e ver esta semente sendo plantada e cultivada, crescendo esta linda árvore que se transformou neste núcleo que vem se expandindo pelo mundo com seus galhos e flores, suas suaves painas branquinhas que voam pelo espaço sem fim é motivo de imensa alegria!

    Gloria a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade!

    Os homens e mulheres que não medem esforços para ver crescer a paz no mundo!

    Viva! Que o nosso Mestre continue nos abençoando e que possamos sempre levar um pouco deste perfume das flores desta árvore linda!

    abraços fraternos

    Responder
  4. Luiz Alberto De Filippo
    Luiz Alberto De Filippo says:

    Parabéns a todos os irmãos que construiram a história do Núcleo Samúma. Parabéns pelo blog bem escrito e editado. Votos de futuras vitórias sempre com alegrão ao mês de Maria !!!

    Responder
  5. Ana Maria Braga Dias
    Ana Maria Braga Dias says:

    Parabéns a todos que contribuem com essa Grande Obra.
    Emocionante ver as fotos antigas dos primeiros irmãos, pessoas queridas que pude conhecer. Muitas delas vieram pra Campinas iniciar o Núcleo Lupunamanta. Felicidades à toda irmandade!

    Responder
  6. Marcio Cardenuto
    Marcio Cardenuto says:

    Grato João pelo Registro tão esclarecedor e bem elaborado.
    Sinto alegria em fazer parte desta Obra, e emoção em ver as mãos dadas em União na construção dela.
    Gratidão também por ver presentes meus filhos e netos.
    A família estruturada pela Ordem e Doutrinação Reta.
    Tempos felizes hoje e sempre com os irmãos amigos de hoje, ontem e amanhã.

    Responder
  7. Sebastiao Chaves
    Sebastiao Chaves says:

    Sou feliz e grato pelo trabalho desenvolvido por todos ao longo desta caminhada. A União do Vegetal é uma obra sagrada auxiliando constantemente as pessoas que necessitam de orientação e amor. Sou acreano, sobrinho do mestre Luiz Massimo Chaves e fui recebido em São Paulo no ano de 1982 pelo Mestre Raimundo Pereira da Paixão, conhecido por Mestre Paixão, que me recebeu quase como um filho. No periodo em que estive em sua casa, auxiliava nas tarefas de casa e me sentia bem e parte integrante da mesma. Recordo com carinho os filhos do Mestre Paixão, Ivo Sillas e Ivete.

    Tive tambem oportunidade de conhecer mestre Mário, um senhor sempre alegre. Tinha um sorriso particular; mestre Sergio, mestre Deivanir e Mestre Genis e o entao estudande de medicina Glacus, o qual depois de alguns anos nos encontramos no centro de Roma onde vivo há mais de 23 anos.

    Hoje sou sócio da União do Vegetal na distribuição autorizada de Valência, Espanha, e agradeço com carinho todos os irmãos que trabalham para esta sagrada obra recriada pelo grande Mestre José Gabriel da Costa

    Responder
  8. Ilka Castro
    Ilka Castro says:

    Em 31 de Janeiro de 1973, bebi vegetal pela primeira no Núcleo Samaúma, e Else Piacentini, tambem bebeu pela primeira vez nesse mesmo dia.
    Fico feliz por ver contada a história de como iniciou esse núcleo, a peleja de sua irmandade para construção de seu templo, e sua contribuição para a expansão da União do Vegetal.

    Responder
  9. Maria Ligia Nascimento
    Maria Ligia Nascimento says:

    Parabéns a todos os irmãos. Que continuem a Caminhada de vcs em Harmonia e em paz para o bem de nós todos nos ensinamentos do nosso Guia Espiritual Mestre Gabriel .

    Responder
  10. Silas Paixão
    Silas Paixão says:

    Fico muito feliz por ver essa publicação, principalmente por ter participado da história desse núcleo.
    Trabalho feito por muito amor e carinho, que vem crescendo a cada dia nessa obra sagrada.
    Parabéns a toda irmandade do Núcleo Samaúma.

    Responder
  11. Jaques Andrade
    Jaques Andrade says:

    A HIstória do Núcleo Samaúma é a História da UDV em sua franca expansão. A todos que fazem o Núcleo Samaúma, que continuem dando as mãos para a continuidade dessa obra no Estado de São Paulo e que assim possam enriquecer a região com a doutrina desse Grande Mestre Gabriel. Luz, Paz e Amor.

    Responder
  12. Rodrigo Polignano
    Rodrigo Polignano says:

    Me sinto honrado e feliz em poder fazer parte dessa história que considero uma linda história de amor.
    Cheguei com meus Pais em 1978 e costumo dizer que o Núcleo Samaúma é também a minha casa. Aqui vivi boa parte da minha infância, cresci, me casei, batizei meus filhos e hoje estou podendo aprender um pouco mais, no lugar de Mestre Representante desse Núcleo que é o Pai de tantos outros aqui na 3ª Região e em outros lugares, através de Dirigentes que aqui se formaram e estão dando continuidade a essa expansão da Obra do Mestre.
    Esse aprendizado traz responsabilidade e também alegria e esperança em poder ver esse Núcleo florescer cada vez mais.
    Gratidão a todos que por aqui passaram e deixaram boas lembranças e boas sementes que estamos aprendendo a zelar com carinho e respeito.
    Gratidão a todos que aqui estão, trabalhando e se dedicando pra sermos cada vez mais vitoriosos.
    Felicidades pra todos!
    Abraços fraternos,

    Responder
  13. Clareana Soares Saragiotto
    Clareana Soares Saragiotto says:

    Emocionante ler a história e ver as lindas fotos na galeria. Parabéns a essa irmandade e também ao Departamento de Memória e Documentação que cuidou dessas relíquias.

    Responder
  14. Flávia Rogério
    Flávia Rogério says:

    Parabéns Núcleo Samaúma! Núcleo importante no (re)início da história da UDV no Brasil. Muito legal poder conhecer um pouco mais e ter acesso às fotografias. Um grande abraço à toda a irmandade.

    Responder
  15. Arlindo Almeida de Lima
    Arlindo Almeida de Lima says:

    Parabéns ao Núcleo Samaúma pela história magnifica, e todos seus associados – os da fundação e os sócios efetivos. Muito bonita a história. A União do Vegetal está de parabéns e o nosso grande e saudoso M. Gabriel, e que desejo para toda irmandade crescimento com prosperidade com símbolo de Luz, Paz e Amor.

    Arlindo Almeida de Lima
    Integrante do Quadro de Mestres do Núcleo Estrela Divina (Plácido de Castro – Acre).

    Responder
  16. Rosélia
    Rosélia says:

    Muito gratificante conhecer um pouco mais da historia desse núcleo tão importante para a expansão da União do Vegetal. Parabéns a toda a irmandade e direção do Núcleo Samaúma.

    Responder
  17. Yana Rigaud
    Yana Rigaud says:

    Que alegria podemos sentir no coração vendo o relato de uma história de amor e dedicação. Desejo que essa irmandade querida tenha sempre força e disposição para continuar trilhando no caminho do nosso Mestre e que todos passam colher bons frutos. Felicidades, amigos!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *