Alexandre Wollner e sua contribuição para a identidade visual da UDV

Rodrigo Polignano*

| 28 junho, 2018

Alexandre Wollner teve papel importante na criação da identidade visual da UDV | Reprodução/Google

Alexandre Wollner, nascido a 16 de setembro de 1928 em São Paulo e falecido em 4 de maio de 2018, na mesma cidade, é considerado o pai do design moderno no Brasil, tendo participado de uma série de entidades importantes no fortalecimento do design em nosso País. Foi sócio da UDV e teve uma importante atuação na consolidação da identidade visual do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, com o aperfeiçoamento do símbolo gráfico** do Centro, no início dos anos 1980. Participou, também, do concurso interno que elegeu o símbolo gráfico da Unidade Assistencial Lar Sama em 1983, tendo sido parte da Banca Examinadora.

Quando adolescente, estudou no Instituto de Arte Contemporânea do Museu de Arte de São Paulo. Devido ao bom desempenho, conseguiu uma bolsa para estudar na recém-criada Escola da Forma de Ulm (sucessora da Escola Bauhaus, na Alemanha, e que influenciou profundamente o design no Século XX). Wollner teve seu estilo marcado pela arte concreta.

Ao voltar ao Brasil, criou, juntamente com Geraldo de Barros, Ruben Martins e Walter Macedo a FormInform, considerado o primeiro escritório de design no Brasil. Participou diretamente da fundação da primeira escola de design do país, a Escola Superior de Desenho Industrial do Rio de Janeiro (ESDI). Em setembro de 2010, foi agraciado com o oficialato da Ordem do Ipiranga pelo Governo do Estado de São Paulo.

Trajetória na UDV

Alexandre Wollner chegou à União do Vegetal em 26 de janeiro de 1980, ao Núcleo Samaúma (Araçariguma-SP), em uma memorável Sessão de Adventícios em que Mestre Paixão (Raimundo Pereira da Paixão) recebeu diversas pessoas para conhecerem o Vegetal. Associou-se em 10 de fevereiro de 1981 e, em 27 de setembro 1986, foi convocado ao Corpo do Conselho da UDV, tendo ocupado o cargo de Orador Oficial do Núcleo entre 6 de janeiro de 1983 e 6 de janeiro 1985. Em fevereiro de 1997, transferiu-se para o Núcleo Alto das Cordilheiras (Campinas-SP), onde deu sequência a sua caminhada e, posteriormente, em novembro de 2000, pediu afastamento da UDV.

Os símbolos gráficos estão presentes da União do Vegetal desde 1972 e foram aperfeiçoados por Wollner em 1983 | Foto: Juliane Oliveira.

Convivência Alegre

Alexandre Wollner sempre manteve um bom laço de amizade com diversas pessoas da nossa religião, e muitos amigos se lembram dos anos de convivência alegre e bem humorada, traços marcantes da sua personalidade. Dentre esses amigos, pedi ao Mestre Alexandre Segrégio (Núcleo Rei Divino, Mairiporã-SP) que escrevesse uma mensagem em homenagem a sua memória:

“É com gratidão no coração que sentei para escrever estas palavras e direcionar o meu pensamento ao meu amigo Alexandre Wollner, profissional brilhante e dedicado. Amigo sincero, simples e modesto. Conheci Alexandre Wollner nos anos 80 e, juntos, trabalhamos no aperfeiçoamento da logomarca utilizada nos impressos da UDV (com os símbolos do Sol, Lua e Estrela) em 1983 e utilizados até hoje. Quando ganhei um concurso da primeira logomarca da Unidade Assistencial Lar Sama (ligada ao Núcleo Samaúma), Wollner me orientou em alguns ajustes gráficos.

Alexandre Wollner foi muito importante para a minha formação profissional. Estava sempre aberto a me acolher, orientar e, hoje, trago comigo preciosos conselhos que ele me deu, abrindo também oportunidades de trabalho. Uma delas foi o Instituto Cultural Itaú que trabalhei por um bom tempo e me deu uma boa base e bagagem importante no campo das artes visuais.

Lembro o seu sorriso sincero e o seu jeito bem humorado. Gostava de conversar com ele sobre a vida, profissão, encantos e mistérios e as pelejas da vida. Saudades desse meu irmão que deixou plantado em mim uma semente de amor e de amizade!”

*Rodrigo Polignano é Mestre Representante do Núcleo Samaúma (Araçariguama-SP). 

**em 1972, Mestre Raimundo Monteiro de Souza (M. Monteiro), ainda em Porto Velho, então Território Federal de Rondônia, encomendou a criação de um carimbo para ser utilizado nos documentos oficiais do Centro. O carimbo já trazia os desenhos do Sol, Lua e Estrela.

10 respostas
  1. Vinicius
    Vinicius says:

    Esse registro demonstra que a nossa irmandade não esquece das pessoas amigas que deram sua parcela de contribuição no fortalecimento de nossa Divina UDV. Valorosas mãos semearam no jardim da Realeza Divina. Se não conseguirmos lembrar de todos, é certo que o Grande Mestre não esquece de nenhum.

    Responder
  2. Marcus Levy
    Marcus Levy says:

    Nessa União tem tanta gente boa trabalhando ou que ja trabalhou, anônimos e conhecidos da sociedade em geral, que a gente não dá conta de saber a história de todos. Parabéns à equipe do Blog por trazer essas histórias ao nosso conhecimento!

    Responder
  3. Leandro Antônio de Oliveira
    Leandro Antônio de Oliveira says:

    Um belo trabalho de um grande designer. Sempre fui fã de seus projetos. Fiquei muito surpreso e feliz de saber que Wollner também foi um membro da UDV.

    Responder
  4. Almir Nahas
    Almir Nahas says:

    Excelente e justo reconhecimento à participação de um obreiro entre tantos. Um bom amigo, uma presença leve na memória de quem o conheceu.

    Responder
  5. Tiago Araripe
    Tiago Araripe says:

    Também tive a oportunidade de trabalhar profissionalmente com Alexandre Wollner. Participei de reuniões com ele e alguns clientes, sempre impressionado pela capacidade que tinha de apresentar seu trabalho de um jeito seguro e, ao mesmo tempo, bem humorado. Nos meus primeiros anos na União do Vegetal, no Núcleo Samaúma, recebi dele um presente: o projeto gráfico para o meu álbum Cabelos de Sansão (1982). Tive a felicidade de estar presente quando foi convocado para o Corpo do Conselho. E de receber dele um conselho que contribuiu para que eu permanecesse na UDV. Saudade desse bom amigo.

    Responder
  6. Luci Rossa
    Luci Rossa says:

    Já era feliz de saber que ele tinha participação na identidade visual da União.
    Foi uma grande Honra ter conhecido ele, pena que na época eu não sabia da ligação que ele tinha com a União.

    Que o mestre conforte a família.
    Grata por compartilhar.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta para Marcus Levy Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *